quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Empresa envolvida em fraude no concurso público de Paço do Lumiar, é alvo de operação da Policia

Empresas de concursos Crescer Consultorias e Instituto Machado de Assis são alvos de operação policial no Piauí

A Polícia Civil do Piauí, através da Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR) deflagrou nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (07) a Operação Dom Casmurro com o objetivo de cumprir 12 mandados de busca e apreensão contra as empresas de concursos públicos Crescer Consultorias e Instituto Machado de Assis, ambas na zona leste de Teresina e contra pessoas que administram, dirigem e colaboram com as atividades dessas duas empresas. 

Conforme a publicação, na mesma ação, foram afastados cautelarmente dos cargos o Secretário de Administração de Cocal e pessoas que atuaram como membros da Comissão Permanente de Licitação do referido município no ano de 2018.

De acordo com a Polícia Civil, a operação foi deflagrada a partir de investigações da DECCOR e de informações do Ministério Público de Cocal, quando foram constatados que as duas empresas alvos dessa operação sempre ganhavam licitações para elaborar concursos públicos municipais a partir de editais direcionados.

A denominação da operação guarda relação com o nome de fantasia de uma dessas empresas investigadas.

Participam ainda da operação o Ministério Público de Cocal, promotores membros do GAECO, a Diretoria de Inteligência da Policia Civil, Polinter, GRECO, DEPRE, Delegacia de Crimes Cibernéticos, a Gerência de Polícia Especializada (GPE), e auditores do Tribunal de Contas do Estado.

Ao todo, mais de 50 policiais civis, bem como Promotores de Justiça e auditores do TCE-PI realizam as diligências.

Fraude em Paço do Lumiar

A Prefeitura de Paço do Lumiar no dia 19 de julho, sob o comando do prefeito licenciado Domingos Dutra (PCdoB) anulou o concurso público realizado pela empresa Machado de Assis. De acordo com a nota oficial da prefeitura, no dia da realização das provas, dois candidatos foram presos em flagrante, no Colégio Pitágoras, com celulares contendo o gabarito das provas; os mesmos confessaram a autoria dos delitos e apontaram uma terceira pessoa, da cidade Porção de Pedras - MA, como o responsável de ter enviado as respostas do certame, não só para os dois candidatos presos, mas para vários outros candidatos, sendo que cinco destes candidatos foram identificados pela polícia e também confessaram o recebimento dos gabaritos, tanto que foram aprovados no concurso.

Além da comprovação de fraudes, mediante vazamento de gabaritos, há também um número expressivo de integrantes de algumas famílias de Paço do Lumiar, aprovados em várias áreas disponíveis no certame, fato este que indica mais indícios de fraudes. Tudo esta sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil do Maranhão.

Em face dos relatos acima, a Prefeitura de Paço do Lumiar não homologou o concurso, previsto do edital Nº 001/2018 , tornando-o nulo, através do decreto Nº 3.344 de 19 de Julho de 2019. 

No dia 30 de agosto, o Tribunal de Justiça do Maranhão obrigou a prefeita em exercício Paula Azevedo a homologar o concurso público (clique aqui e reveja)


Nenhum comentário:

Postar um comentário