quinta-feira, 5 de abril de 2018

Desembargador Marcelino Everton, suspende decisão que anulava contrato da BRK Ambiental.

Para o desembargador, os serviços prestados pela concessionária em São José de Ribamar e em Paço do Lumiar são essenciais e a interrupção do contrato poderia trazer prejuízos à população

O desembargador Marcelino Chaves Everton, do Tribunal de Justiça do Maranhão, determinou a suspensão da decisão que anulava o contrato de concessão da BRK Ambiental para a prestação dos serviços de saneamento em São José de Ribamar e em Paço do Luminar. O efeito suspensivo, publicado na última segunda-feira, 2, garante a continuidade dos serviços prestados da concessionária nas duas cidades.

A BRK Ambiental havia recorrido da decisão de primeira instância, com pedido de suspensão dos efeitos da sentença. O desembargador relator do recurso deferiu o pedido liminar, argumentando que os serviços realizados pela BRK Ambiental são essenciais, com impacto direto na saúde das pessoas, e que a anulação poderia trazer riscos à população. O magistrado apontou também que não ficou demonstrada a capacidade dos agentes públicos de prestar os serviços que hoje são realizados pela concessionária.

Segundo a BRK Ambiental, a empresa já investiu mais de R$ 61 milhões para a modernização dos sistemas de água e esgoto nos dois municípios. Para 2018, estão previstos aproximadamente mais R$ 55 milhões em investimentos, que irão beneficiar o abastecimento de água de diversos bairros e, a partir de 2019, a empresa inicia o projeto de universalização do sistema de esgotamento sanitário, num montante de R$ 675 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário