domingo, 8 de abril de 2018

A ingratidão e a traição de Fábio Rondon.


Certamente essas são palavras que mais caracterizam o então secretário de Educação de Paço do Lumiar, Fábio Rondon. Acordos firmados são quebrados repentinamente para atender determinados interesses pessoais, deixando a coletividade e o companheirismo em segundo plano. Impressionante como aquilo tido como certo e sensato vira incerteza e dúvida num piscar de olhos. Palavras firmes e fortes de apoio dão lugar ao silêncio profundo. Nesse momento é possível perceber a ingratidão atrelada à traição.

Foi falado muita coisa: que Rondon iria se candidatar a uma vaga no Legislativo; que tinha enfrentado problemas internos na Semed; que teria se recusado a cumprir determinações superiores; que teria se desgastado por causa do atraso na realização do seletivo para os professores, o que provocou atraso no calendário escolar. E por aí vai.

Mas fontes ligadas ao Governo do Estado informaram em conversa reservada com jornalistas e blogueiros na manhã deste sábado (07), que o real motivo da exoneração do secretário e ex-padre, foi o suposto envolvimento em uma armação que teria o objetivo de afastar o prefeito Domingos Dutra (PCdoB) para colocar a vice Maria Paula da Pindoba (SD). Tudo isto sob as bênçãos e plena anuência da direção estadual do PCdoB, chefiada pelo senhor Márcio Jerry, que foi quem indicou Rondon para compor a equipe do prefeito Dutra, ainda quando da montagem da equipe, no início da gestão.

Estava sendo armado um golpe, orquestrado a partir do presidente estadual do PCdoB, para afastar o prefeito Dutra e colocar no seu lugar a vice Paula, que daria plenos poderes ao Fábio Rondon mandar e desmandar na Prefeitura de Paço do Lumiar”, disse a fonte palaciana. A confiança era tanta no sucesso do plano, que o padre Fábio já estava em um grupo seleto do comando estadual do PCdoB no WhatsApp, onde trocava mensagens diárias com a direção do partido.

Mas o golpe teria sido descoberto por pessoas de confiança da secretária de Administração e braço direito do marido, Núbia Dutra. Assim que a secretária soube, teria chamado o padre Fábio e confirmado toda a armação, resultando na exoneração do secretário. A fonte contou ainda que a traição pegou toda a gestão de surpresa, uma vez que o padre Fábio era tido como homem de confiança de Núbia Dutra e do prefeito Domingos Dutra. “Com certeza, foi uma grande decepção para todos, pois o padre Fábio chegou a ser cotado para ficar no lugar da secretária de Administração quando ela se afastasse para concorrer a uma vaga do Legislativo”, disse a fonte ligada ao Palácio dos Leões.

Agora, resta cantar aquela música para o padre Fábio: Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão.

Se o grupo do prefeito não percebesse a traição a tempo o Paço do Lumiar agora seria a Terra de Paula da Pindoba que segundo informações sabia do golpe para tirar o prefeito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário