sexta-feira, 9 de junho de 2017

Briga entre estudantes chama atenção para violência nas escolas do Maiobão.

Vídeo flagra jovens trocando socos, tapas e puxões de cabelo dentro e fora das escolas no bairro do Maiobão. Situação é recorrente em escolas públicas de Paço do Lumiar

Três adolescentes, na faixa dos 17 anos, trocam socos, pontapés e empurrões em uma escola pública da rede estadual de ensino, no bairro do Maiobão em Paço do Lumiar. A cena ocorreu há cerca de uma semana e, desde então, as imagens têm circulado pelos celulares dos adolescentes. Depois de muita confusão, dentro da sala de aula, os próprios colegas das estudantes, põe fim à briga.

Outro vídeo divulgado pelos estudantes e que viralizou nas redes sociais, é o envolvimento de duas adolescentes da escola Bandeira Tribuzzi, flagradas brigando fora da escola. As imagens mostram as alunas se encontrando no ponto de ônibus, trocando tapas e puxões de cabelo. Depois de quase 30 segundos do vídeo, adultos, que parecem estar observando tudo, separam a briga. (veja vídeo abaixo)

O fato alerta para um problema que tem ocorrido nas escolas públicas do município. Para entender o fenômeno da violência nas escolas, é preciso levar em conta fatores externos e internos à instituição de ensino. No aspecto externo, influem as questões de gênero, as relações raciais, os meios de comunicação e o espaço social no qual a escola está inserida. Entre os fatores internos, deve-se levar em consideração a idade e a série ou o nível de escolaridade dos estudantes, as regras e a disciplina dos projetos pedagógicos das escolas, assim como o impacto do sistema de punições e o comportamento dos professores em relação aos alunos (e vice-versa) e a prática educacional em geral.

Diante do que se passa, uma das identidades mais comprometidas é a da escola – lugar de sociabilidade positiva, de aprendizagem de valores éticos e de formação de espíritos críticos, pautados no diálogo, no reconhecimento da diversidade e na herança civilizatória do conhecimento acumulado. Essas situações repercutem sobre a aprendizagem e a qualidade de ensino tanto para alunos quanto para professores.

Responsabilidade
Para alguns especialistas, a escola é responsável pela educação de seus alunos dentro e fora dos estabelecimentos de ensino, assim como os pais. Se está acontecendo isso com seus alunos, a escola é responsável. E precisa tentar trabalhar a questão da tolerância.

Especialistas avaliam que a educação do aluno, independentemente do local onde ele esteja naquele momento, é também dever da escola. A briga demonstra uma falta de educação. Apresenta uma falha também da escola. Também da família. É dever de todos prevenir esse tipo de ocorrência.

Muitos defendem que a família e a escola precisam estreitar ainda mais o relacionamento. Pra que a escola e a família estejam atentas aos indícios de violência, que normalmente antecedem a briga. E que expulsar alunos em razão de brigas só piora a situação, pois deixa o adolescente abandonado. Trata-se de uma fuga da responsabilidade das instituições de ensino!

Acompanhe o vídeo

Nenhum comentário:

Postar um comentário