terça-feira, 2 de maio de 2017

Dutra enfrenta a inconformada oligarquia Arôso que quer continuar massacrando o Paço.

Marinho do Paço e Gilberto Arôso não aceitam a decisão da população, que elegeu Dutra para prefeito
A oligarquia Arôso ameaça a administração do prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB). Utiliza vereadores ligados à família que por mais de 40 anos dominou o Paço para inviabilizar a administração. Quatro projetos de lei foram engavetados pelo vereador Marinho do Paço (PROS) com intuito de prejudicar Dutra.

Os projetos visam reduzir despesas com publicações oficiais da prefeitura e Câmara nos meios de comunicação de grande circulação, criando como alternativa o Diário Oficial Eletrônico; extinguir os privilégios das isenções fiscais prolongadas por um período de dez anos, herança das gestões passadas, com amparo legal na Lei complementar federal 157/2016; exigir o pagamento de impostos para empresas de prestação de serviços diversos contratadas pela prefeitura que subcontratam outras; e, por fim, contratação de professores e médicos.

Marinho tem agido da mesma maneira com outros projetos do Executivo municipal. A regulamentação dos serviços de mototaxistas, motoboys e motofretes é um dos projetos engavetados por Marinho.

Na Câmara, Dutra tem apoio de 11 vereadores dos 17 edis. Os Arôso tem o apoio da minoria, sendo que direção geral do Legislativo municipal, pertence ao Felipe Arôso (clique aqui e reveja).

Gilberto Aroso, candidato derrotado nas eleições passada, e sobrevivente da oligarquia satélite dos Sarney no município, perseguem Dutra na Justiça Eleitoral em processo no qual alegam abuso de poder político e econômico. Gilberto ilude Marinho com promessa do vereador assumir a prefeitura na improvável cassação de Dutra.

Veja o processo





Nenhum comentário:

Postar um comentário