sexta-feira, 24 de março de 2017

Porra-louca! Vereador Marinho do Paço descontrolado causa confusão na Câmara Municipal.

Em sua mais recente demonstração de imaturidade política e total falta de conhecimento dos aspectos legais relacionados ao funcionamento da casa que (lamentavelmente) preside, o vereador Marinho do Paço (PROS), protagonizou cenas constrangedora ao legislativo luminense. Depois de impedir qualquer tipo de manifestação por parte da população no recinto da Câmara (clique aqui), e de tentar calar os profissionais de comunicação do município (clique aqui), agora o vereador usa sua prerrogativa de presidente, para proibir seus colegas de parlamento, de fazer o uso da palavra no plenário, como se lá fosse a sua casa e não a casa do povo.

O fato ocorreu na sessão ordinária desta sexta-feira (24), quando o vereador Leonardo Bruno (PPS) estava discursando na plenária e passou a palavra ao seu colega de parlamento, o vereador Miguel Ângelo (PRP). De imediato o vereador Marinho do Paço cortou o microfone do edil, sem nenhuma justificativa, o que causou revolta nos demais vereadores.

Populares que foram assistir a sessão, para acompanhar de perto aprovação dos projetos que beneficiam o povo, ficaram surpresos pela reação destemperada do inexperiente presidente, que acabou sendo hostilizado: "Palhaço! Palhaço!" Gritou o povo.

Certamente o vereador Marinho teve esta reação, em função de estar completamente perdido em relação ao cumprimento regimental de suas atitudes, tentando impor suas bravatas, como se estivesse em sua própria casa, se é que lá ele tem autonomia para fazê-las!

Tem que crescer, vereador! Para legislar, é preciso, antes, saber o valor de cada uma das regras que regulam a sociedade organizada e, principalmente, saber cumpri-las, com decoro, com decência e com responsabilidade.

Com atitudes como as que tomou, o vereador em questão confirma a avaliação de grande maioria dos luminenses, de que se trata de um parlamentar “porra louca”.

Acompanhe os vídeos


Nenhum comentário:

Postar um comentário