quarta-feira, 15 de março de 2017

Por que a oposição tenta retardar a votação que reajusta o piso dos professores, e outros projetos em Paço do Lumiar?

Em uma manobra para inviabilizar a votação do projeto de lei que reajusta o piso dos professores da rede municipal de ensino e mais três projetos que visam melhorar a arrecadação do município, o presidente da Câmara de Vereadores, Marinho do Paço (PROS), na sessão ordinária desta terça-feira (14), simplesmente encerrou a sessão 10 minutos depois, alegando falta de quórum, quando o mesmo nesta legislatura, abriu sessão até com uma hora de atraso. 


A estratégia adotada pelo presidente do legislativo é com intuito de forçar uma greve na educação para então criar um fato e tentar inviabilizar o governo municipal. Marinho do Paço segue os caprichos do ex-prefeito Gilberto Arôso, e dos Campos que não se conformaram com a derrota nas eleições de 2016, para o ex Deputado Domingos Dutra (PCdoB), que além de ações judiciais na Justiça Eleitoral, utilizam também a Câmara Municipal para atrapalhar o novo governo.

Apesar de todos os esforços do Prefeito Dutra em manter uma relação harmoniosa com o Presidente do Legislativo, o mesmo segue todas as orientações dos opositores. Foi Gilberto Arôso, Fred Campos e Alderico Campos, todos enrolado com a justiça que articularam o confinamento de 9 vereadores no interior do estado, para elegerem Marinho como presidente da Câmara.

Na semana passada o Prefeito Dutra encaminhou para Câmara Municipal, projetos de leis reajustando o piso dos professores; implantando o Diário Oficial Eletrônico para reduzir despesas do município; estabelecendo o fim das isenção fiscais no município e o projeto de lei que cria a figura do contribuinte substituto para eliminar a sonegação de impostos (clique aqui e reveja).

Na sexta-feira dia (10), por unanimidade a Câmara aprovou em regime de urgência, todos os projetos encaminhado pelo executivo municipal, para que os mesmos fossem aprovados na sessão de ontem da Câmara de Vereadores. Porém, o Presidente Marinho, seguindo ordens de Gilberto Arôso e da família Campos e orientado pela vereadora Carmem Arôso (PMDB), primeira secretária da mesa diretora, por não terem a maioria dos vereadores para barrarem os projetos, simplesmente encerrou a sessão 10 minutos depois, tomando como base o regimento interno da casa, alegando falta de quórum, quando o mesmo nesta legislatura, abriu sessão até com uma hora de atraso. A obediência de Marinho do Paço aos Arôsos prejudica os professores que estão sem o reajuste do piso e toda a população luminense.

Na verdade, ao boicotar a não aprovação dos projetos, “A Turma do Quanto Pior, Melhor” estão defendendo os sonegadores do município e evitando que a prefeitura economize com a criação do Diário Oficial Eletrônico.

O Prefeito Domingos Dutra já afirmou que não vai se submeter a chantagem do Presidente Marinho e muito menos às manobras da família Aroso, que está desesperada para recuperar a mina de ouro que perderam em Paço do Lumiar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário