terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Complexo Esportivo no bairro Jaguarema é novamente pauta em encontro do Prefeito com a comunidade.


O projeto é do Governo Federal que destinou mais de R$ 3 milhões para obra que deveria ter sido executado na gestão anterior. Entretanto, em decorrência de alguns impasses com os moradores, a obra foi embargada. Em um primeiro momento, o Prefeito ouviu os motivos que levaram a comunidade à rejeição do projeto do Ministério dos Esportes. Segundo o Presidente da Associação de Moradores do conjunto Jaguarema, todos temiam uma obra mal feita que pudesse ser abandonada sem conclusão, a exemplo da sede da associação que começou a ser construída no local reservado para o complexo esportivo. 

"A exemplo do que podemos ver lá no Maiobão, onde um complexo esportivo começou a ser construído e foi abandonado, servindo agora como ponto de encontro de marginal, nós também tínhamos medo disso acontecer aqui! Sem falar que a nossa associação que começou a ser levantada com dinheiro do povo, ficaria perdida! Nós precisamos de um espaço também e nada disso estava claro, até o momento." - afirmou o Presidente da Associação, o senhor Jorge Luís.

A confusão que iniciou em 2014 entre a gestão passada e a comunidade acabou no Ministério Público que criou um termo de ajustamento de conduta e, por isso, a obra nunca começou. O Prefeito Domingos Dutra chegou a um entendimento com os moradores que o aplaudiram após apresentar detalhadamente o projeto, através de um projeto piloto.

"Nós tivemos um diálogo positivo. Entendemos os anseios da população e faremos tudo com o apoio deles. Temos 3 milhões de reais para investir! Seria inaceitável perder esse valor por falta de conversa. Sobre a Associação, o complexo é grande e, quem sabe, a entidade possa atuar dentro do próprio complexo. O que buscávamos era um bom entendimento e conseguimos." - afirmou o Prefeito.

O ginásio será moderno, com 1.500 metros quadrados, vestiários, sala de enfermagem, sanitários, sala de reuniões, entre muitos outros. A quadra será adequada para as práticas de Handebol, Vôlei, Basquete e Futsal, mas ficou acordado que o lugar poderá ser usado para outros fins, esportivos ou culturais.

Com o fim do problema, se não houver nenhum imprevisto, a construção do complexo começa em 15 dias. Cinquenta por cento (50%) dos recursos está disponível na Caixa Econômica e a empresa já está licitada desde 2015, esperando para começar a trabalhar. O empresário, proprietário da construtora licitada, esteve pessoalmente na reunião explicando a situação.

"Não começamos a obra por falta de entendimento, mas estamos preparados para trabalhar e a meta é que, em menos de 1 ano, esse cenário que vocês estão olhando, mude completamente" - disse o proprietário da empresa Geral Construção, Vilson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário