quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Feirantes aprovam medida da prefeitura que restringe a circulação de veículos na Rua 101, conhecida como a rua da feira, no Maiobão.

Em pesquisa realizada com os feirantes da feira do conjunto do Maiobão, para saber se estavam de acordo ou não, com a medida tomada pela prefeitura que restringe a circulação de veículos durante os finais de semana, pela via que acesso ao local, a rua 101.

Embora, algumas ressalvas, a grande maioria dos entrevistados acolheu bem a medida tomada pela prefeitura municipal, pois, os comerciantes que têm seus boxes instalados na própria via, afirmaram que o grande fluxo de veículos atrapalhava bastante, gerava congestionamentos, dificultando a mobilidade dos clientes e pedestres, e ainda, gerava constantes discussões entre os próprios condutores; e, entre condutores e pedestres com troca de agressões verbais e ameaças. Os feirantes evidenciaram que alguns motoristas deixavam os carros estacionados enfrente aos boxes, o que impedia até visualização dos produtos pelos clientes.

A medida também foi bem aceita pela população do bairro, que costumeiramente frequenta o local para fazer suas compras, principalmente nos finais de semana, pois disputavam espaços com os veículos para se locomoverem na via, correndo o risco iminente de sofrer algum tipo de acidente.

A pesquisa revelou que quem menos gostou da medida, foram os condutores de veículos, pois, tinham a comodidade de transitar e fazer as compras e colocá-las de imediato nos no interior dos automóveis - alguns nem desciam faziam a compra do próprio carro, paravam e se acumulavam na via, gerando congestionamento.

Feirante, Claudio S. Pereira
Para o feirante Claudio Sousa Pereira, o ambiente da feira está bem melhor com restrição de circulação dos veículos nos finais semanas.

Por mim, pode continuar assim, melhorou muito, agora os clientes podem circular mais facilmente, livremente, sem disputar espaço com os carros. O trânsito de veículos gerava muita confusão, discussões – eu particularmente não vejo problema algum, só melhorou, e aprovo; – que continue dessa forma”, afirmou Cláudio S. Pereira.

As queixas e ressalvas dos feirantes e comerciantes

Para alguns feirantes, a medida afetou um pouco a venda, mas, afirmavam que apesar dessa sucinta desvantagem, ainda assim, são favoráveis à manutenção da medida; - outra observação que é feita pelos feirantes e comerciantes - é a restrição em relação aos veículos que fazem descarrega e/ou desembarque de mercadorias e produtos, pois também estão impedidos de adentrar na feira, o que dificulta o transporte e a chegada das mercadorias até os boxes.

Essa é a reivindicação que fica para que equipe que está fazendo o monitoramento do trânsito possa agir com prudência nessa questão, para liberar a entrada dos veículos com cargas, e assim, não dificultar o nosso trabalho, somente isso”, reivindicou Dona Arlete - feirante a 35 anos, na feira do conjunto Maiobão, na foto acima à esquerda da imagem.

Em conversa com Sr. Fábio da Feira, que é o administrador da feira, ele nos informou a respeito de algumas reclamações, - “ mas nada de se alarmar”, ele informou também que a reforma da feira do Maiobão, foi iniciada desde 2015, porém, a obra encontra-se parada pela falta do repasse e/ou liberação dos recursos pelo governo federal, segundo ele a valor da reforma do telhado já está na CAIXA.

Há duas verbas; - uma para a reforma do telhado e a outra para reforma da planta base; - a primeira é uma solicitação do atual prefeito Domingos Dutra, quando ele ainda era deputado, orçada em R$782.245,94 – que é de responsabilidade da prefeitura municipal, cuja a empresa responsável pela execução das obras do telhado é empresa Itamaraty . A outra verba refere-se à reforma da planta baixa do prédio que está orçada em torno R$, 1.528.945, 42 milhão, uma emenda feita pelo deputado Lourival Mendes – e que é de responsabilidade da Secretária de Estado da Agricultura, a previsão é que a reforma disponha a quantia de 130 boxes para acomodação aos feirantes que estão instalados na rua 101”, informou Fábio da Feira.

A princípio o prefeito, Domingos Dutra, que assumiu a gestão municipal no ultimo dia 1º de janeiro, teve a preocupação em conversar com os feirantes para organização da feira, a iniciar pela organização do transito na Rua 101, que gera uma confusão generalizada, um problema antigo, em seguida será feito o cadastramento para acomodação de cada um dos feirantes que comercializam no local.




Por: Mendes Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário