segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Na nova Câmara Municipal de Paço do Lumiar quem será governo ou oposição?

Vereadores eleitos de Paço do Lumiar
Resolvi me antecipar aos fatos ou desdobramentos na relação do novo governo em Paço do Lumiar e a relação política com a nova legislatura. Ledo engano achar que as negociações entre o novo governo e os vereadores eleitos começarão mais à frente e não agora. Esse tipo de relação política inicia logo no dia seguinte ao fim da disputa eleitoral. Geralmente ficam, a princípio, nos bastidores em negociações que, em alguns casos são demoradas, mas já podem estar ocorrendo.

Na composição da “Casa de Leis”, sete parlamentares continuarão com suas cadeiras no parlamento e outros dez irão estrear como legisladores. Tomando como base o resultado das urnas e a composição das coligações que obtiveram assentos e representatividade, montei um diagnóstico do atual momento, levando em consideração os acordos firmados ainda na eleição.

Dentre os 17 vereadores eleitos, o prefeito Domingos Dutra (PCdoB) neste momento poderia contar com seis apoiadores. Seriam estes:
  1. Leonardo Bruno (PPS)
  2. Vanusa Neves (PSDB)
  3. Jorge Brito (PSDB)
  4. Wellington Sousa (PSB)
  5. Ana Lúcia (PDT)
  6. Júlio Pinheiro (PEN)
A oposição neste momento, conta com nove nomes, mas pode mudar:
  1. Vagner Sousa (PMN)
  2. Carmen Arôso (PMDB)
  3. Marinho do Paço (PROS)
  4. França Duarte (PRB)
  5. Drielle da Pindoba (PCdoB)
  6. Fernando Muniz (PP)
  7. Miguel Ângelo (PRP)
  8. Puluca (PV)
  9. Orlete Mafra (PRTB)
Posição indefinida:
  1. Inácio (PHS)
  2. Miau Oliveira (PDT)
Como a câmara municipal luminense conta com 17 cadeiras, portanto, para o prefeito manter a sua base, garantir a governabilidade, terá que ter no mínimo nove cadeiras ou a margem de segurança de dez. Ou seja, o vereador PDT, e PHS que estão indefinidos são fundamentais para minimamente iniciar a discussão da composição da mesa diretora da Câmara Municipal para o biênio de 2017 e 2018.

O prefeito eleito Domingos Dutra é um ex-parlamentar, conhece como ninguém o funcionamento do legislativo. O comunista sabe que sem apoio da Câmara Municipal, o gestor não governa.

Tudo indica que dois vereadores da oposição poderá virar governo! Pratica muito corriqueira no parlamento luminense e realizado sem cerimônias ou constrangimentos.

Nesta atual legislatura que caminha para o seu encerramento, ficou claro que a maioria dos vereadores não conseguem se manter sem as benesses governistas: cargos, contratos, indicações, secretárias e por aí vai. Quem desses que estão neste momento no campo oposicionista conseguirão se manter fora do bloco de poder? Fazer oposição a uma máquina pública poderosa? Quem fará – de fato? 

Pelo visto ainda muitos desdobramentos nesta relação entre os poderes Executivo e Legislativo virão. Cabe analisar os movimentos, uma simples foto ou fala já poderá evidenciar caminhos que serão tomados ou acordos que serão cumpridos. Voltarei ao tema mais à frente. Com este texto quis só iniciar o debate e análise sobre os bastidores do poder em Paço. Aguardem, muitas surpresas e sem constrangimentos virão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário