terça-feira, 25 de outubro de 2016

Polícia detém 30 pessoas em campeonato de briga de galos em Paço do Lumiar.

Operação foi no bairro Bob Kennedy, na cidade de Paço do Lumiar. Em depoimentos, revelou-se que animais eram avaliados em até R$ 20 mil


A Polícia Civil do Maranhão encontrou cerca de 200 pessoas que assistiam e faziam apostas em uma rinha (briga de galos), que funcionava no bairro Bob Kennedy, em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís. A chegada dos agentes, na última sexta-feira (21), foi justamente no momento de uma das brigas. As apostas eram altas e, de acordo com as investigações policiais, tinha animal avaliado em até R$ 20 mil. Foram conduzidas para delegacia 30 pessoas. Todas foram ouvidas e liberadas. As investigações seguem com a Delegacia de Meio Ambiente.

Os policias fizeram imagens do momento da abordagem e em um dos trechos é possível perceber que um animal está morto. A ação policial foi depois inúmeras denúncias anônimas.

No material apreendido, muitas maletas que serviam para transportar os animais. As etiquetas de algumas confirmam que pessoas de Fortaleza (CE) e Belém (PA) estavam em São Luís para participar do evento criminoso. Foram apreendidos ainda balança para pesagem do animal, telas que cronometravam as brigas, que duravam cerca de 1h divida em três períodos, entre outros materiais.


As pessoas eram esclarecidas e vinham de outros estados. Tem as caixas que os galos eram transportados com as etiquetas de empresas aéreas e nos depoimentos alguns confirmaram que eram de outros estados”, disse a delegada Bianca Almada.

A polícia encontrou ainda pulseiras de credenciamento de participantes. Nelas, a confirmação da data do próximo evento: 31 de outubro.

Eles tem uma estrutura montada pra isso. Tem ‘hotéis’ para os galos trazidos por pessoas de fora da cidade”, revelou à delegada.

A polícia acredita que no momento da ação policial, estava sendo realizado um campeonato interestadual, no qual os apostadores estavam dispostos a pagar valores altos.

O volume de dinheiro que essas pessoas tinham nos bolsos eram valores altos. Nos depoimentos também disseram que tinham animais avaliados em R$ 15 mil, R$ 20 mil”, declarou Bianca Almada.

Pela Lei de Crimes Ambientais é crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A pena é de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário