sábado, 15 de outubro de 2016

Braide não foge da “Sabatina na Difusora”, responde a tudo, e ganha mais respeito do povo de São Luís.


Em sabatina, realizada hoje no programa Resenha, na qual foi entrevistado pelos jornalistas Clodoaldo Corrêa, Leandro Miranda, Jonh Cutrim e Jeisael Max, o deputado estadual Eduardo Braide, candidato a prefeito pelo PMN( Partido da Mobilização Nacional) voltou a afirmar que a candidatura dele não tem a chancela de nenhum “cacique” e disse desconhecer o apoio do ex-prefeito João Castelo(PSDB), do ex-­secretario de Saúde, Ricardo Murad e do senador Roberto Rocha (PSB).

Mesmo sendo visivelmente pressionado por um dos entrevistadores, Eduardo Braide demonstrou equilíbrio, serenidade, firmesa, roubando a cena e ganhando muito mais credibilidade junto aos eleitores de São Luís.

Indagado sobre a existência destes apoios, ele frisou que é preciso diferenciar apoio de declaração de voto, ressaltando que apoio é construído após conversas entre duas partes: o candidato e a pessoa que pretende apóia-lo; e não houve nenhum tipo de conversa neste sentido com nenhum dos nomes citados pelos entrevistadores como apoiadores dele no segundo turno.

Ele voltou a frisar que chegou ao segundo turno graças ao apoio da população e inclusive ressaltou em relação as pesquisas de intenção de votos, divulgadas até agora, que o que tem mesmo mais importância na caminhada dele é a manifestação de apoio dada nas urnas no primeiro turno que o levou a seguir na disputa e a certeza de que a população de São Luis em sua maioria tem aderido às propostas apresentadas por ele no decorrer da campanha.

Nas perguntas relativas à experiência administrativa vivida na gestão do ex­prefeito João Castelo, Braide disse que não tem vergonha de ter participado da gestão do tucano, atualmente deputado federal e ressalta que na gestão do prefeito Edivaldo Holanda as áreas da Saúde, da Educação e do Trânsito são ocupadas por pessoas que foram do secretariado de João Castelo.

A respeito da passagem dele pela Caema (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão), durante o governo José Reinaldo Tavares ( 2003 ­2006) Braide refutou a existência de poluição nas praias, enfatizando que na época as noticias divulgadas sobre o assunto não traziam nenhum lado que comprovasse tal afirmação, feita nas matérias citadas pelos entrevistadores e que relatavam ter havido naquele período a presença de poluição na orla marítima.

Ainda em relação a Caema ele disse que é preciso ser feito um trabalho de parceria entre a empresa estatal e a prefeitura para evitar situações de descompasso que sempre são vistas com freqüência com a Caema abrindo buracos em ruas que a prefeitura pavimenta e pontuou que é preciso implantar um Plano Municipal de Saneamento com o intuito de facilitar a relação de parceria entre a prefeitura e a Caema.

Ainda com relação às parcerias, ele disse ter boa relação com o governador Flávio Dino (PC do B) de quem foi líder na Assembléia Legislativa em 2015, e caso seja eleito tentará uma relação de parceria com o Palácio dos Leões.

Questionado sobre questões inerentes à mobilidade urbana e sobre quais medidas ele tomará, caso seja eleito para enfrentar estes problemas, Braide lembrou que antes de tudo é preciso discutir a questão da metropolização, que há tempos esta na pauta de debates, mas tem de ser colocada em prática e a partir disto será possível delinear de forma mais eficaz políticas públicas na área da mobilidade urbana.

As sabatinas com os candidatos à prefeitura de São Luís prosseguem na próxima semana. Na segunda (17) e terça (18), Eduardo Braide (PMN) e Edivaldo Holanda Junior (PDT) serão entrevistados no programa “Repórter Difusora”.

Com informações do IDifusora

Nenhum comentário:

Postar um comentário