segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Adir Fonseca: ‘o Judas da política luminense’

Quanto vale a palavra de uma pessoa que vende seu voto, ou um partido, ou a sua própria candidatura ?

Essa pergunta pode ser respondida por alguns personagens daqui de Paço do Lumiar, que a maioria de nós conhecemos. 

Vejamos o caso de Adir Fonseca. Essa pessoa, eleitoralmente, não tem expressão praticamente nenhuma, mas foi escolhido como presidente do PSL até bem pouco tempo atrás, porque era tido como pessoa organizada, compromissada com o grupo político do qual fazia parte. Mas no período das convenções, aceitou as propostas do candidato Gilberto e resolveu levar o PSL pra esse candidato, mesmo sabendo que não era mais presidente do partido. Olhem só, tentou enganar todos os outros membros do PSL, tentou enganar a Justiça Eleitoral, e até o próprio Gilberto Arôso, que pensava que Adir ainda era presidente do PSL quando ele não era mais. 

Como os planos não deram certo, foi preciso encontrar uma função pra Adir. Então, ele passou a ser a bucha certa pra Gilberto atacar todos os demais candidatos dos adversários, tanto de Dutra, quanto Josemar, Raimundo Filho e Inaldo. 

Mas o feitiço acabou se virando contra o feiticeiro, pois a Justiça está condenando Adir Fonseca a pagar $ 880,00 em todas aquelas ações que ele entrou contra os adversários de Gilberto, pelo que o juiz chamou de litigância de má fé. Já são mais de $ 15.000,00 só em multas contra Adir. Isso que acontece com quem vende o partido que dirige e trai o grupo que acompanhava, esse aliado vai sair caro pra Gilberto. 

Nos próximos dias, vou contar a história de quem vendeu sua própria eleição pro adversário, aguardem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário