segunda-feira, 11 de julho de 2016

Eleições 2016: Ex-prefeito Gilberto Arôso tem outras condenações de colegiado no TJ-MA.

O ex-prefeito Gilberto Arôso (PRB) tem consciência que não poderá sair candidato a prefeito em Paço do Lumiar. Mas a situação do seu grupo político, é complicada caso ele anuncie que está inelegível, a debandada será geral, pois os nomes de Marinho do Paço (PROS), Jorge Maru (PRB) e Fred Campos (PRB), cotados para o cargo, não decola. 


A estratégia do Arôso agora é manter a candidatura até o final, e com isso fortalecer seu grupo para as eleições em outubro. Gilberto mesmo inelegível, vai sair candidato e tentar massificar seu número de campanha "10", na reta final Fred Campos irá substitui-lo.

Gilberto Arôso tenta copiar sua tia, a ex-prefeita Bia Arôso que nas eleições de 2000, mesmo com sua candidatura impugnada, conseguiu transferir mais de 10 mil votos para seu sucesso Agnaldo Berto Ferreira, mais conhecido como "Gigi".

Só existe um problema em relação a tática de Gilberto, o mundo evoluiu e hoje, em plena era digital, na era do conhecimento e da informação, essa velha tática não cola. O ex-prefeito esqueceu que os tempos são outros, e que seu velho grupo politico ficou estagnado no tempo.


As condenações 
O Tribunal de Justiça do Maranhão confirmou a condenação criminal do ex-prefeito de Paço do Lumiar, Gilberto Aroso. Após o julgamento do recurso do ex-prefeito, foi expedido o mandado de prisão dele.


Gilberto deixou o presídio de Pedrinhas até a Justiça decidir qual vai ser o regime da sua prisão (se aberto ou fechado).

Condenado por órgão colegiado (Primeira Câmara Criminal do TJMA), Gilberto Aroso está impedido de se candidatar (está inelegível), Segundo decisões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE): 

"Eleições 2012. Registro. Prefeito. Indeferimento. Condenação criminal. Inelegibilidade. Art. 1º, inciso I, alínea e, item 1, da LC nº 64/90. Incidência. 1. A partir da edição da Lei Complementar nº 135/2010, não se exige mais a presença da preclusão máxima para a configuração da hipótese de inelegibilidade, bastando para tanto que a decisão tenha sido proferida por órgão colegiado. 2. Tendo sido o agravante condenado, por decisão colegiada, pela prática do crime de corrupção passiva, ele está inelegível desde a condenação até o transcurso de oito anos após o cumprimento da pena, nos termos do art. 1º, I, e, 1, da LC nº 64/90. [...]"



"Eleições 2012. Registro de candidatura. Prefeito. [...] Não atendimento a procedimentos licitatórios e descumprimento da lei de responsabilidade fiscal. Irregularidades insanáveis e atos dolosos de improbidade administrativa. Precedentes. Causa de inelegibilidade do art. 1º, inciso i, alínea g, da lei complementar nº 64/90. Desnecessidade de imputação em sede de ação penal ou civil pública. Precedentes. Lei complementar nº 135/2010. Incidência imediata. Precedentes. Condenação, perpetrada por órgão colegiado do poder judiciário. Crime contra a administração pública. Incidência da causa de inelegibilidade do art. 1º, inciso I, alínea e, da Lei Complementar nº 64/90. [...] 6. A condenação do Candidato, por órgão colegiado do Poder Judiciário, por crime contra a Administração Pública é apta a atrair a incidência da causa de inelegibilidade objeto do art. 1º, inciso I, alínea e, da Lei Complementar nº 135/2010.[...]"



O ex-prefeito de Paço do Lumiar tem outras condenações de colegiado, que põe fim a sua vida pública.


Nenhum comentário:

Postar um comentário