quinta-feira, 2 de junho de 2016

Hospital de Campanha atende mais de seis mil pessoas no Viva Maiobão.

A assistência aos pacientes com dengue, chikungunya e zika vírus recebeu reforço no atendimento com o Hospital de Campanha. Desta vez, em Paço do Lumiar, mais de seis mil pacientes foram atendidos, no hospital, instalado na área do Viva. O atendimento na região teve início em 20 de abril, data em que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) instalou a estrutura de atendimento móvel, climatizada, com cerca de 40 profissionais atuando em regime de plantão. O serviço será realizado até 20 de junho naquela localidade.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, a ação integra a força tarefa de combate ao Aedes. “Condições atípicas como, nesse caso, exigem providências ágeis e resolutivas. Nós estamos direcionando o hospital de campanha para áreas de maior índice de incidência do mosquito Aedes, para atender demandas locais de modo mais efetivo e preciso”, disse.

Moradora do Maiobão, a família de Ronilde Rodrigues Menezes, de 33 anos, buscou atendimento, esta semana, no Hospital de Campanha. Uma das filhas, Marivânia Menezes Costa, de 8 anos, e o marido, Genivaldo Felix da Costa, de 43 anos, apresentaram febre, dores no corpo e, em particular, nas articulações. Após avaliação da equipe médica, a família recebeu a medicação na área da observação. “Com o hospital mais próximo de casa, a minha família buscou atendimento e já está sendo medicada”, disse Ronilde Rodrigues Menezes.

Atendimentos
Em Paço do Lumiar, entre 20 de abril a 30 de maio, 6.246 pacientes foram atendidos no Hospital de Campanha, além da população das cidades de São José de Ribamar (1.168) e São Luís (310). Cerca de 310 pacientes não informaram o município de residência.

Desde que o Hospital de Campanha iniciou suas atividades, em Paço do Lumiar, a aposentada Neide Abreu dos Santos, de 73 anos, já recebeu atendimento três vezes na unidade. A primeira vez apresentou quadro clínico suspeito de zika vírus. Das outras vezes, o atendimento foi para atender queixas de dores no corpo. Medicada e com recomendação de repouso, a aposentada disse que, a partir da orientação médica, a saúde está melhorando. “Eu me sinto melhor, recebendo os cuidados no hospital. Estou recuperando a minha saúde”, relatou Neide Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário