quinta-feira, 9 de junho de 2016

Chance de Dilma retornar ao poder cresce com problemas de Temer, diz revista Time.

Publicação norte-americana ressaltou os problemas enfrentados por Temer nos primeiros dias de governo e que há senadores indecisos

Menos de um mês depois de Dilma Rousseffser afastada da Presidência, uma série de choques políticos aumentou a probabilidade de a petista voltar ao poder, cenário até então considerado improvável, afirma uma reportagem da revista norte-americana Time publicada nesta quinta-feira. Para o veículo, o sucesso do presidente interino Michel Temer dependerá de sua habilidade em tomar medidas duras e melhorar a economia.

Com o título "Como o aprofundamento da crise no Brasil pode salvar Dilma Rousseff", a Time destaca que uma série de problemas de Temer pode mudar o cenário político do país novamente. O texto cita a saída de dois ministros do gabinete do peemedebista e a frustração de parte da população com seu governo, na medida em que a recessão na economia não dá mostras de melhorar.

A Time cita o relatório divulgado nesta semana pelo Banco Mundial, que prevê que a recessão brasileira poderá se estender pelo terceiro ano, chegando também a 2017. Outro ponto de instabilidade foi o pedido de prisão ao Supremo Tribunal Federal (STF) de quatro caciques do PMDB, que inclui o ex-presidente José Sarney.

A revista norte-americana destaca que Temer já começou seu governo como alvo de críticas ao nomear um ministério formado apenas por homens brancos e ainda incluir em seu gabinete pessoas investigadas por corrupção. Em seguida, foi forçado a abandonar os planos de acabar com o ministério da Cultura e viu dois de seus ministros tendo que deixar os cargos por causa dos avanços das investigações da Operação Lava-Jato.

O sucesso de Temer em Brasília, ressalta a reportagem, em grande parte dependerá da habilidade do peemedebista em melhorar a economia, mergulhada na maior recessão desde os anos 1930. Pelo lado positivo, o presidente interino tem mostrado maior poder de coalizão no Congresso, ao contrário de Dilma. "Ainda está para ser visto se ele pode unir os partidos políticos fragmentados para fazer escolhas econômicas difíceis, como as da reforma da Previdência."

A Time avalia que, para voltar ao comando do Brasil, Dilma precisa apenas que cinco senadores mudem seus votos, e alguns membros da Casa têm dado declarações de que vão repensar seus votos. A reportagem cita declarações do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que afirma que o jogo ainda não foi definido.

Ao mesmo tempo, Dilma tem sido alvo de pesadas acusações, afirma a revista. O artigo cita declarações atribuídas ao empresário Marcelo Odebrecht de que a campanha de reeleição da presidente afastada teria sido financiada com dinheiro de corrupção, com recebimento de R$ 12 milhões em 2014. Caso as denúncias se comprovem, Dilma poderá ter seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em meio ao caos e à incerteza política, os brasileiros parecem dar pouca atenção à Olimpíada, que começa em menos de dois meses, ressalta a Time.

Nenhum comentário:

Postar um comentário