quinta-feira, 7 de maio de 2015

Prefeita Thalyta Laci não paga funcionários e comete um ato de extrema crueldade contra famílias no município de Raposa.

A prefeita de Raposa sem dó nem piedade, deixou dezenas de famílias, sem seus salários.

Informações - oquartopoder com adaptações do Rilton Silva

Contratados exonerados cobram seus salários atrasados na Raposa
Desde que assumiu o comando da Prefeitura Municipal de Raposa, após um processo cercado de suspeitas e articulações tendenciosas nos corredores do Tribunal Regional Eleitoral – TRE, que acabou cassando os mandatos do ex-prefeito e de seu vice, Clodomir Santos (PRTB) e Messias Lisboa, a atual gestora do município, Thalyta Laci (PCdoB), tem enfrentado um grande desgaste em relação ao pagamento do funcionalismo público municipal.

A prefeita teve sérios problemas para pagar funcionários na pasta da Saúde, a exemplo dos Agentes Comunitários de Saúde – ACS, Agentes Comunitários de Endemias – ACE, médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e demais funcionários que são pagos com recursos de programas do Governo Federal, através Ministério da Saúde.

No caso dos ACE – Agentes Comunitários de Endemias, que deveriam ter recebido os seus proventos referentes ao mês de janeiro de 2015, no dia 28 de fevereiro, apesar do recurso ter caído na conta da Prefeitura no dia 27, o pagamento só foi realizado no dia 24 de março, após manifestações, protestos e um grande desgaste na mídia local.

Já os ACS – Agentes Comunitários de Saúde, que também deveriam ter sido pagos em 28 de fevereiro, só tiveram os proventos em conta no dia 18 de março. E os salários do mês de março, foram pagos no dia 29 abril. São 72 agentes de saúde cadastrados no Ministério da Saúde para a cobertura município, entretanto, apenas 71 teriam recebido o pagamento e, coincidência ou não, o irmão do ex-vice-prefeito do município, que também é agente de saúde, ficou sem receber. Os companheiros de trabalho acreditam que seja uma espécie de perseguição política. 

Por outro lado, os ACE - Agentes Comunitários de Endemias deveriam ter recebido até o dia 30 de abril, mas, até o momento, não têm nenhuma previsão sobre os pagamentos de seus salários. De acordo com os funcionários, os recursos do Ministério da Saúde foram depositados na conta da Prefeitura na data correta, mas, ninguém, na gestão do município, os informou o motivo de ainda não terem efetuado o pagamento.

Exonerados e sem receber salários

Outro problema que tem sido muito cobrado, desde o início da desastrosa gestão Thalyta Laci, diz respeito aos funcionários contratados ainda na gestão do ex-prefeito Clodomir dos Santos. Eles alegam que a própria prefeita teria pedido que nenhum contratado abandonasse seu posto de trabalho e que quem quisesse trabalhar não seria demitido.

A contratada Girlene Nascimento do Rosário, que exercia a função de recepcionista no Hospital Nemércia Dias Pinheiro, declarou a reportagem de O Quarto Poder, que a própria prefeita Thalyta Laci, acompanhada de seu irmão Leonardo Pequeno, atual secretário de Administração do município, no dia 28 de fevereiro, por volta de umas 20 horas, garantiu que os funcionários poderiam continuar nos seus locais de trabalho, desempenhando suas funções e que não seriam demitidos.

O último pagamento dos contratados teria sido depositado na gestão do ex-prefeito Clodomir, no mês de fevereiro, dias antes da cassação de seu mandato. Os contratados afirmam que foram orientados a permanecerem nas funções de trabalho, mas não receberam pagamentos depois que Thalyta Laci assumiu o governo.

Ainda de acordo com os contratados, o departamento de Recursos Humanos da Prefeitura, por diversas vezes, garantiu que os salários seriam depositados em várias datas diferentes, nos últimos dois meses. No entanto, os salários nunca teriam sido pagos.

Veja o livro de ponto



Pediram-nos que apresentássemos provas de que estávamos trabalhando e nós preenchemos formulários e gastamos fazendo cópias de documentos e dos livros de pontos dos nossos locais de trabalho, mas, até agora, nada foi resolvido e já estamos com uns 50 dias de salários atrasados”, disse José Ricardo Matos, que trabalhava na Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Porém, no dia 31 de março a prefeita Thalyta Laci, na calada da noite assinou o decreto Nº 031, exonerando todos os contratados do município. A medida impopular, prejudicou dezenas de famílias, que ela mesmo havia prometido pagar os salários. O ato de extrema crueldade da prefeita mostrou a que ponto, ela e sua família chegou para se manter no poder.


Veja o decreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário