sexta-feira, 17 de abril de 2015

Maranhão está na vanguarda do desenvolvimento da região, afirma ministro Mangabeira Unger.

O ministro Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos) afirmou na manhã desta sexta-feira, 17, que o Maranhão está na vanguarda na construção de políticas públicas com uma agenda de desenvolvimento alinhada à política nacional. “A pasta de Assuntos Estratégicos é para ajudar a presidenta Dilma e todo o governo a construir um novo modelo de desenvolvimento baseado na ampliação de oportunidades, calcada em uma estratégia que tem olhos, braços e asas ao dinamismo humano. O Nordeste não tem projeto de desenvolvimento desde a época de Celso Furtado. Agora a região nordestina vive um novo momento, e o Maranhão toma a frente da vanguarda brasileira, pois possui um potencial extraordinário, que é valorizado pelo governador Flávio Dino. Estou aqui para iniciar um trabalho paciente, duradouro e entusiasmado junto ao governo”, disse.

Ao lado do governador Flávio Dino e do secretariado, Mangabeira Unger conheceu os projetos do governo voltados para o desenvolvimento sócio-econômico do Estado. Durante explanação sobre estratégias de desenvolvimento brasileiro, Unger destacou a diversidade produtiva, a capacitação, a qualificação dos serviços públicos e a reestruturação do Estado como pilares para garantir o desenvolvimento com inclusão social no país.

O governador Flávio Dino ressaltou a importância do estado estar inserido na agenda de desenvolvimento do país baseada em políticas regionais de integração. “Estamos engajados neste esforço de construir um Nordeste melhor, e consequentemente, o Maranhão faz parte deste desenvolvimento, com projetos na área de educação, sobretudo, a instalação de escolas técnicas, núcleo de educação integral, construção de políticas educacionais que garantam o acesso ao aluno, gestão democrática da escola, entre outros”, afirmou.

O ministro Mangabeira reiterou a importância da diversificação produtiva para a agenda de desenvolvimento da região. “Precisamos trabalhar com diversos vieses produtivos para evitar a monocultura dos cereais, que ocorre no Sul do estado. Não adianta capacitar o povo se não democratizarmos a produção, é preciso assegurar para os empreendedores emergentes o acesso ao crédito e as práticas avançadas de tecnologia”, explicou Mangabeira.

O secretário Simplício Araújo (Indústria e Comércio) destacou parte dos desafios inerentes a sua pasta, como a regularização fundiária, fortalecimento da indústria e reativação de polos de irrigação. “Precisamos da ajuda da Secretaria de Assuntos Estratégicos para destravar procedimentos burocráticos, pois só assim, poderemos resgatar os polos agrícolas que estão abandonados. Estes polos são de grande importância para a economia do estado”, salientou Simplício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário