quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Contra o “impeachment”?

O impeachment da presidente Dilma é questão de tempo?

Por Pedro Lagomarcino

Com tudo que assistimos desde 17-03-2014, dia em que iniciou a operação “Lava-Jato”, se tornou impossível compreender as mentes contrárias ao “impeachment” da Presidenta Dilma Rousseff.

Cogita que as mentes contrárias ao “impeachment” de Dilma, também culparão a referida operação, como responsável pela crise hídrica em São Paulo e no Rio de Janeiro, dado o “elevado consumo de água” que está sendo utilizado, para limpar este país, quiçá de vez. E logo adiante, também irão iniciar com previsões cartesianas de estiagem completa do Lago Paranoá, se o foco desta operação também abranger Brasília.

Mas, se isso ocorrer, penso que a operação não terá fim e que o país acabará morrendo por “falência múltipla de órgãos”.

A bem da verdade, a operação “Lava-Jato” desvelou, até mesmo para os brasileiros mais céticos, que a corrupção no Brasil é como caçar caranguejo fora de época no manguezal: além de ilegal, muito lama suja e quando se pensa que pegou apenas um, ao trazê-lo para superfície se percebe que está um preso no outro.

A despeito do início dos trabalhos da operação “Lava-Jato”, em 05-02-2015 os veículos de comunicação divulgaram “a rodo” que o PT recebeu, no mínimo, US$ 200 milhões, ou seja, R$ 550 milhões, no "PeTrolão".

É muita lama, muito caranguejo e o Brasil está um manguezal só.

Mesmo assim, houveram vozes roucas que ainda têm o despeito de se posicionar contra o “impeachment” e com isso defender a Presidenta Dilma.

Não tenho, absolutamente, nada contra quem se posiciona contra o “impeachment”, na medida em que o pensar livre é um direito constitucional. Mas, minha tolerância encontra seu fim, quando percebo que há uma gigantesca contradição entre o que se diz, o que se escreve e pior, com o que se pratica.

Argumentar contra o “impeachment” se tornou o mesmo que assar linguiça de 5ª categoria: basta colocá-la no fogo, para ver que o volume de gelo se esvai em minutos e, que de carne mesmo, sobra muito pouco.

Se aqueles que cogitam não haver provas contra Dilma, ao meu entender estão acometidos de insanidade, os que afirmam não haver provas, penso que defenestraram da mente a razão.

Alô! Tem alguém aí!

Dilma é a Chefe do Poder Executivo Federal ora!

Se não o fez por ação dolosa, o fez de forma pior, com a culpa, um reflexo da covardia de quem se omite, é negligente, imprudente, imperito, conivente e por quem pratica prevaricação.

A Lei, meus caros, pune (e assim deve ser), tanto a ação quanto a omissão. Assim, quando Dilma não tomou nenhuma medida efetiva, para combater o que era divulgado, por meses em todos os veículos de comunicação no Brasil; e esta história do “eu não sabia”, de há muito não cabe mais, tanto para uma Presidenta que tem acesso a todas informações na Administração Pública, quanto para qualquer cidadão que acessa a internet, bastando digitar “www. Alguma coisa. Com. Br”, e “pimba”, está lá, a notícia, a informação, o fato, o indício, senão também a prova, ictu oculi.

Nem um apedeuta duvida que a Presidenta se beneficiou de, ao menos por ora, R$ 500 milhões, para fazer sua própria campanha, do que se tornou a PeTrobrás, através do “PeTrolão”.

Eis o negócio declarado: "construir, reformar ou comprar" refinarias e estádios. É o negócio mais vantajoso da Via-Láctea e o Brasil, a referência geográfica da Terra.

Dentro desta “empreitada”... Ualá... A ação e o ânimo principal: superfaturar e corromper. Verbos próprios de um país que se perde a cada dia, nos descaminhos de si.

E agora vem a operação “Lava-Jato” e “estraga” tudo?

Como financiar as “empreitadas” já que a operação está lavando mesmo o país?

Com o lógico, ora bolas: aumento dos tributos, impostos, taxas, contribuições, etc.

Com a cereja no bolo, é claro, ela não poderia faltar: mentir tudo o que se disse que não iria fazer às vésperas da reeleição.

Já não houve aumento na gasolina, nas taxas de juros e é anunciado mais de 40% de aumento na conta de luz?

Então, quem paga a conta é sempre a mesma parte: o pacato povo brasileiro.

Um comentário:

  1. Caro Rilton Silva,
    A petição está on-line, para quem quiser aderir, compartilhar com seus contatos ou apenas refletir:
    http://www.citizengo.org/pt-pt/signit/13481/view
    Atenciosamente,
    Pedro Lagomarcino

    ResponderExcluir