sábado, 25 de outubro de 2014

Magistrados realizam casamento coletivo em Paço Lumiar.

O casamento coletivo aconteceu na Assembleia de Deus da comunidade de Pau Deitado, no Município de Paço do Lumiar.

Informações. O imparcial

Sessenta casais disseram sim em mais uma ação de cidadania promovida pela magistratura maranhense na noite desta quarta-feira (22). O casamento coletivo aconteceu na Assembleia de Deus da comunidade de Pau Deitado, no Município de Paço do Lumiar (região da Grande Ilha de São Luís) e contou com apoio da Corregedoria da Justiça do Maranhão. 


Ao todo, cerca de 500 pessoas, entre noivos, familiares, amigos e pessoas da comunidade compareceram ao evento que lotou a igreja local. Dentre os casais, o senhor Luis e a dona Maria, com 94 e 77 anos respectivamente. Eles responderam o sim com a convicção e a alegria de quem sabe que uma nova etapa de vida se inicia. 

Para a corregedora Nelma Sarney o Judiciário deve participar da vida social também nas aspirações de realização pessoal e não apenas no julgamento de processos. “Estamos cumprindo bem o papel que temos de julgar e decidir sobre as ações que chegam ao Judiciário, mas também estamos atuando na garantia e efetividade dos direitos do cidadão. Por isso apoiamos iniciativas como esta”, afirmou.

O casamento coletivo na comunidade é resultado de um esforço conjunto entre os juízes Vanessa Clementino, Clésio Cunha, Oriana Gomes e Carlos Veloso, que também celebraram os casamentos. Servidores da Corregedoria deram suporte logístico e de organização, contribuindo para o sucesso da ação.

Vanessa Clementino disse que o casamento é como um filho “devendo ser bem cuidado para crescer forte”, destacou. Carlos Veloso falou da força do amor e deu como exemplo a experiência de seu casamento como um matrimônio feliz e bem sucedido.

O juiz Clésio Cunha, que participa ativamente das atividades desenvolvidas na comunidade, falou sobre a força e a disponibilidade da magistratura para realização de ações em prol do cidadão. “Levei a situação da comunidade à juíza Vanessa e ela prontamente nos atendeu, possibilitando a oferta de cidadania às pessoas da região”, disse.

A juíza corregedora Oriana Gomes falou do apoio da Corregedoria na iniciativa, destacando que houve um grande envolvimento de servidores e juízes que contribuíram para o evento, revelando o espírito cooperativo da Justiça.

Também participaram da organização do casamento coletivo o pastor da Assembleia de Deus Raimundo Amâncio e a tabeliã do 2º Ofício Extrajudicial, Ana Carolina Brasil. Ao final do casamento todos os noivos receberam brindes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário