terça-feira, 19 de agosto de 2014

Vereador contesta governo Roseana e critica perseguição a São Luís.

O vereador Batista Matos (PPS) contestou nesta segunda-feira (18), em discurso na Câmara Municipal, a posição da Chefe da Casa Civil do Governo, Ana Graziella, sobre as obras do governo em São Luís, que segundo ela, mostram o compromisso da governadora Roseana Sarney (PMDB) com o município de São Luís. Batista Matos criticou a retaliação do governo com a capital, por firmar diversos convênios com vários municípios e não fazer o mesmo com São Luís.


Batista Matos listou diversos convênios do governo com municípios do interior e da grande São Luís e fez um desafio à chefe da Casa Civil. “Ela disse que o governo tem várias parcerias com prefeituras administradas pela oposição. Gostaria que ela citasse uma parceria com São Luís, que é a capital do Estado, cidade com maior número de habitantes e sede do governo inclusive”.

Durante o discurso, o vereador foi irônico com o comentário da secretária de que o governo do Estado não vê bandeira. “De fato, não vê a bandeira de São Luís, capital do Estado que não tem um único convênio ou projeto que esteja sendo executado em parceria com a prefeitura ou tenha sido discutido pela Câmara Municipal”.

Para Batista Matos, duas provas de que a postura do governo é equivocada são as avenidas Ferreira Gullar e a Via Expressa. “A gente pode errar uma vez e aprender. Não é caso desta gestão. Nos primeiros mandatos de Roseana ela inaugurou a Av. Ferreira Gullar sem discutir nada com o município. A obra segue até hoje quase que sem nenhum efeito para a mobilidade urbana da cidade. Hoje, é a via Expressa, quase 100% concluída e que também é uma avenida quase vazia, em que o projeto foi aprovado na Assembleia como se fosse uma MA, quando deveria passar pela câmara”, comentou.

“Não se discute se o governo está fazendo algo ou não, mas sim a falta de consonância, de respeito a autonomia municipal. Ninguém sabe o que é mais importante para o município do que seus representantes legais, que são a população, os vereadores que lhes representam e o prefeito por ela eleito. O governo não sabe o que é isso, dá uma ideia na telha e começa a fazer sem discussão alguma”, acrescentou.

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

Por fim, Batista Matos também comentou a declaração que a governadora Roseana Sarney deu certa vez de que o prefeito Edivaldo só quer dinheiro. “É complicado uma governadora se posicionar desta forma. São dois pesos e duas medidas claramente. Tem recursos pra todos, menos para São Luís, que na verdade ainda tem é que devolver R$ 2 milhões todo mês ao governo. É obvio que tudo passa pelo fato do prefeito ainda ser da oposição ao governo. A prova é que em maio, por causa dos estragos das chuvas, o prefeito declarou estado de emergência, pediu audiência com a governadora e até hoje nunca foi atendido. Se São Luís fosse um paciente na UTI esperando pelo governo já teria sido declarado o óbito, porque o socorro do governo Roseana não teria chegado. Mas esta situação tem os dias contados e o povo de São Luís que decidiu por este grupo em 2010 está anotando tudo e dará a devida resposta em breve”, concluiu.

Por Raimundo Garrone - Blog

Nenhum comentário:

Postar um comentário