sábado, 19 de julho de 2014

BOMBA: Prefeito Josemar Sobreiro é acusado de manipular o sorteio do programa Minha Casa Minha Vida em Paço do Lumiar.

O prefeito Josemar Sobreiro e sua filha Karla Maria estão sendo acusados de manipular o resultado do Programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal.

Por Clayton Collins - Blog

Este canal vem recebendo inúmeras denuncias sobre o sorteio do programa Minha Casa Minha Vida. "Achei muito estranho aquele sorteio". Foi o relato de diversas pessoas.

O fato de o chefe do Executivo, no caso o prefeito Josemar Sobreiro oferecer casa a pessoas, caracteriza que ele tem o poder sobre a triagem das pessoas que participam. Ao que tudo indica, as pessoas que foram escolhidas pelo prefeito. Deveriam ter, independente de qualquer coisa, a sua inscrição no programa.


Essa seria a resposta, para a desconfiança das pessoas, que acharam muito estranho contemplados que já tinham casa, serem agraciados e outras que se encaixam nos requisitos ficarem de fora do projeto.

No vídeo o senhor Robério Carlos, relata que o prefeito ofereceu uma casa pra ele. Rilton Silva repudiou essa atitude.

Veja o vídeo.


Como funcionou o esquema

O filho de Bigode relatou que a filha de Josemar o abordou no Viva Maiobão, no momento do sorteio do Minha Casa Minha Vida, perguntando se eles estariam interessados numa casa do programa, sem precisar de sorteio.

Falou que ela pediu entre outros documentos, o seu cpf, mas ele rejeitou, porque seu pai falou que isso não era honesto. Segundo ele. A filha de Josemar iria lhe fornecer inclusive senhas.

"A filha dele veio perguntando se a gente tinha feito a inscrição. Pediu o número do cpf. Pediu um monte de coisa, eu não dei, por causa do meu pai, que falou que não era pra dar nada. Isso foi honesto pela parte dele. Lá no Viva Maiobão, o meu irmão está de prova".

Veja o vídeo.

Um comentário:

  1. Casas do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida em todo o Brasil possuem famílias que são prioritárias. Dentre elas, estão aquelas que passaram por situação de calamidade a ponto de perder a residência em incêndio, enchente ou coisas do tipo.Mesmo assim é necessário ser de baixa renda a ponto de não ter condições de arcar com a compra ou aluguel de residencia. Só em São Luis esse grupo extrapola 200 famílias.Não sei se a família em questão encaixa-se no perfil.

    ResponderExcluir