sexta-feira, 13 de junho de 2014

Prefeito Josemar Sobreiro realizá Jogos Escolares mais caro da história de Paço do Lumiar.

Com o discurso de que há 7 anos os Jogos Escolares Luminense estava esquecido, o prefeito Josemar Sobreiro, realizou a competição estudantil mais cara da história de Paço do Lumiar.

A prefeitura municipal contratou a empresa PÓDIUM PRODUÇÕES E EVENTOS LTDA para organizar e executar os jogos escolares luminenses pelo valor de 74.400,00 (setenta e quatro mil e quatrocentos reais). Em contato com o titular deste blog, muitas pessoas que atuam na área de esporte no município, questionaram o contrato e perguntaram se o prefeito estava oferecendo na premiação para o primeiro e segundo colocado um carro zero quilometro?

O contrato tem vigência até 31 de Dezembro de 2014, e foi assinado no dia 15 de maio de 2014 pelo enrolado Secretário Municipal de Administração e Finanças, Gustavo da Cunha Serra e a titular da empresa contratada Josylena Silva dos Santos Pinheiro.

Veja a resenha do contrato


O prefeito Josemar Sobreiro premiou, na manhã desta quarta-feira (11), no auditório da Faculdade IESF, no Maiobão, as escolas campeãs dos Jogos Escolares Luminenses (JEL’s). Em seu discurso o gestor municipal reconheceu sua incompetência, ao afirmar que a 7 anos a competição estudantil estava esquecida, pois um ano da sua gestão contribuiu para o esquecimento.

5 comentários:

  1. Gente a abertura desses jogos não deu quase ninguém, fora a questão da estrutura que era péssima esse valor está acima da realidade, eu acho que o prefeito deve ter cometido alguém erro.

    ResponderExcluir
  2. Ridículo esse contrato Ministério Público neles, acho uma falta de respeito com a juventude esse valor de contrato.

    ResponderExcluir
  3. É O GOVERNO DA MUDANÇA, É 22 É 22 É 22 VAI MEU PREFEITO TRABALHADOR GASTE MESMO O DINHEIRO DO POVO

    ResponderExcluir
  4. Rilton você está reclamando de que? Não foi você que apostou nesse governo que se afirmava a mudança? Agora tome na cara

    ResponderExcluir
  5. Acho que todos estamos apanhando na cara por acreditar em um nome, que na realidade não passa disso mesmo - um nome, porque autoridade mesmo não tem, quem manda é o grupo, é como uma empresa: existem diversos acionista e suas parcelas de autoridade são proporcionais ao capital investido inicialmente na campanha. Essa "empresa" sempre dá lucro, é garantido; ledo engano pensar que votamos para prefeito, votamos sim para a empresa chamada "mandato".

    ResponderExcluir