quarta-feira, 4 de junho de 2014

Gasto Exorbitante com o Carnaval de Paço do Lumiar motiva Ministério Público abrir investigação contra o prefeito Josemar Sobreiro.

O prefeito de Paço do Lumiar Josemar Sobreiro poderá se complicar novamente com a Justiça, desta vez por conta do contrato assinado no dia 27 de dezembro de 2013. No qual o Secretário Municipal de Administração e Finanças, Gustavo da Cunha Serra contrata a empresa K.R. S Lobão para prestação de serviço de locação de palco, iluminação, geradores e sonorização para o período carnavalesco de 2014.

O contrato assinado com a empresa K.R. S Lobão chega ao valor exorbitante de R$ 493.630,00 (quatrocentos e noventa e três mil, seiscentos e trinta reais), o que é considerado incompatível com a realidade do município. A vigência do contrato foi de 90 dias após a assinatura, a titular pela empresa é Karla Racquel Silva Lobão.

Veja a resenha do contrato


O curioso é que a K.R. S Lobão é a mesma empresa que foi contratada sem licitação pelo próprio Secretário Gustavo Serra para a produção e realização de show artístico para o encerramento das festividades relacionadas ao São João no dia 30 de junho de 2013 no Município, que está sobre investigação (clique aqui e reveja).

Conselho de Cultura

Em contato com um Conselheiro de Cultura de Paço do Lumiar que não quis se identificar, afirmou ao titular deste blog que apoia o Carnaval, mas não concordou com a forma que foi organizado pela prefeitura e revelou que nenhum membro do Conselho de Cultura sabia desse contrato e que não houve reunião para debater o carnaval de 2014 na cidade. “Passou da hora de o prefeito ser mais transparente com os gastos, já que esta foi uma das promessas de campanha, inclusive com a criação de um Portal da Transparência. A torcida é para um Carnaval bem organizado, que dê certo. E que depois da folia, a população veja a prefeitura trabalhar, já que até hoje, a grande obra foi a inauguração de três ruas no conjunto Maiobão, de tão mal feito, a primeira chuva levou quase todo o asfalto e precisar passar por reparos”, comenta o conselheiro de cultura do município.

4 comentários:

  1. Notasse que esse contrato é apenas para prestação de serviço de locação de palco, iluminação, geradores e sonorização. Imagine a empresa responsável pela contratação das bandas, isso vai feder e muito

    ResponderExcluir
  2. Praticamente meio Milhão gasto apenas com Palco, som e iluminação é muito dinheiro. Cadê os vereadores desse município?

    ResponderExcluir
  3. Outro fato curioso é que essa empresa terceirizada contratou os equipamentos da banda Reprise. Sendo que no ano passado a dona Evila havia prestado esse serviço por apenas 78 mil reais e agora essa empresa K.R.S Lobão ganhou o contrato de quase meio milhão, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk isso ai tem coisa errada

    ResponderExcluir
  4. Rilton não esqueça a questão da cerveja PROIBIDA que teve exclusividade na venda dentro do corredor da folia. O prefeito tem que explica como em um evento público apenas uma cerveja tem exclusividade e olha que o valor da cerveja estava caríssima e com valor mais elevado do que Bhama, Skol e Antártica que não tinha autorização pra vender dentro do corredor

    ResponderExcluir