domingo, 2 de março de 2014

Uso indevido de recursos públicos da Câmara Municipal de São Luís poderá levar à cassação de mandatos de uma dezena de vereadores.

O blogueiro Gilberto Lima teve acesso à cópia do cheque nº 000364-6/Bradesco, da conta-corrente da Câmara Municipal de São Luís, no valor de R$ 1.163.500,00, que está em poder de um ‘empresário’ de São Luís. O documento pode ser a principal prova de uso indevido de recursos da Câmara em esquema de ‘agiotagem’, investigado pela polícia maranhense.

Veja a cópia.


O cheque está assinado pelo presidente da Câmara, vereador Antônio Isaías Pereira Filho, e pelo diretor financeiro, José Almir Valente Costa. Esse cheque teria sido repassado ao empresário pela então gerente do Bradesco Raimunda Célia, intermediária da negociação entre ele e o comando da Câmara.

Veja o documento.

A transação ocorreu poucos meses antes de estourar o escândalo dos empréstimos, que resultou na demissão da gerente do Bradesco, Raimunda Célia de Abreu, hoje tida como foragida.

Datado do dia 28 de novembro de 2013, o cheque foi depositado em conta-corrente de uma empresa denominada de CONSTRUSERV, mas foi devolvido por ter sido sustado ou por falta de fundos.

Pelas informações de informantes do blog, esse montante ‘emprestado’ ao presidente da Câmara teria sido depositado em contas de pessoas indicadas pela direção da Câmara de São Luís.

Essa ‘agiotagem’ com recursos da Câmara Municipal de São Luís pode levar à cassação de mandatos de uma dezena de vereadores, supostamente envolvidos no esquema. Só a revelação da cópia desse cheque é uma prova inconteste de crime de improbidade administrativa, configurando-se quebra de decoro parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário