quarta-feira, 12 de março de 2014

Os blefes para a disputa ao Senado e as chantagens para dar o bote em Arnaldo Melo.

Grupo Sarney mostra fragilidade e desespero pela sobrevivencia no cenário politico.

Por Raimundo Garrone/blog

A crise sem precedentes que se instalou no seio da família Sarney no período pré-eleitoral tem mostrado a fragilidade com que o grupo concorrerá as eleições de 2014. A indefinição da própria Roseana Sarney sobre sua candidatura ao Senado demonstra que o grupo “todo poderoso” não está mais com aquela bola toda.

Mas os analistas mais atentos podem perceber que a possibilidade de permanência de Roseana Sarney no Governo até o final do mandato não passa de um blefe para pressionar Arnaldo Melo a ceder nas negociações pela eleição indireta.

A tese da candidatura de Gastão Vieira ao Senado Federal levantada nos últimos dias por membros do Palácio dos Leões tem como principal motivo pressionar Arnaldo Melo e ludibriar o presidente da Assembleia Legislativa. Afinal, é improvável que Roseana Sarney deixe de disputar o Senado e aposte no enfraquecimento do poder da família Sarney no Senado.

Nessa mesma linha de desenrolar o meio de campo na Assembleia, foi ventilada uma possível candidatura de Edinho Lobão também ao Senado, na vaga que seria de Roseana Sarney.

Mesmo servindo para pressionar Arnaldo, a candidatura de Edinho não agradava nem um pouco a família Sarney. Isto porque, se eleito, Edson Lobão e Edinho ocupariam 2 das 3 cadeiras do Senado pelo Maranhão e a família Sarney não teria nenhum representante na bancada, um verdadeiro perigo.

Edinho percebeu o blefe logo que desembarcou no Palácio dos Leões e tratou de por os pingos nos “is” para Roseana. Foi categórico e disse que não será feito de fantoche para chantagens. Gastão foi ao facebook e disse que está na briga pela vaga.

Alheio a tudo isso, parecendo anestesiado, o PT-MA não ocupa qualquer espaço de discussão na chapa do PMDB. Raspas e restos ainda interessam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário