sexta-feira, 28 de março de 2014

Grupo Sarney está revoltado com Edmar Cutrim.

Gil Cutrim, Edmar Cutrim e Glubert Cutrim na mira de Fernando Sarney.
É crescente a antipatia do grupo Sarney com o Conselheiro do Tribunal de Contas, Edmar Cutrim. Os comentários sobre Edmar, nos bastidores do grupo, são cada vez piores. Vão de “ingrato” a palavras impublicáveis.

O episódio mais recente atingiu os interesses do empresário Fernando Sarney. Este tem uma grande amizade com o suplente de vereador Carioca, que diz ser fornecedor de vários produtos para Fernando Sarney e amigos.

Como prova de estima, Fernando prometeu ao amigo a cassação do vereador Beto Castro, para que Carioca ficasse com a vaga. A trama começou com a plantação de notícias contra Beto Castro nos blogs e jornais da família Sarney. Depois, tudo se transformou em um processo, cujo resultado favorável Fernando Sarney prometeu ao amigo e fornecedor Carioca. Só que o TRE rejeitou as ordens de Fernando Sarney e manteve Beto Castro no cargo.

Para Fernando e sua turma, a causa da derrota tem nome e sobrenome: Edmar Cutrim. Segundo essas fontes, Edmar é “insaciável”, “não tem limites” e só quer saber de ganhar dinheiro.

Edmar já era acusado pelo grupo Sarney de vazar informações relativas a auditorias sobre obras e negócios enrolados de Luís Fernando, que serviram de combustível para queimar o discurso do suposto “bom gestor”. Aos insatisfeitos, Edmar avisa que tem muita munição, e que o grupo Sarney só tem a perder brigando com ele.

No meio da confusão, está o prefeito de Ribamar, Gil Cutrim, que é acusado de fazer “corpo mole” na campanha de Luís Fernando.

O certo é que Carioca ficou sem o sonhado mandato de vereador, e Fernando Sarney não pôde retribuir os favores que recebe do seu querido amigo e parceiro.

Por Leandro Miranda - Marrapá

Nenhum comentário:

Postar um comentário