quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Produção industrial do Maranhão recua, diz pesquisa da Fiema.

A Sondagem Industrial do Maranhão mostrou que a produção industrial do estado caiu em dezembro de 2013 na comparação com o mês anterior, porém recuou menos do que o indicador do Nordeste e no Brasil. De acordo com a pesquisa, que é feita mensalmente pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) por meio da análise de questionários respondidos empresários do setor, o indicador ficou em 48,7 pontos.

O resultado é 1,3 ponto menor do que o registrado em novembro de 2013 e por ter ficado próximo dos 50 pontos, linha que indica estabilidade, mostra que a indústria maranhense ficou perto de manter o ritmo de produção registrado em novembro.

O resultado para o Nordeste e Brasil também apresentaram recuo, porém em uma proporção mais acentuada. Para o Brasil, o indicador caiu de 48,4 pontos em novembro para 40,2 pontos no mês seguinte, registrando queda de 8,8 pontos. Para o Nordeste, o recuo foi de 5,7 pontos, ficando em 45,5 pontos. 

Já em relação às expectativas para o primeiro semestre de 2014, observa-se que os empresários maranhenses esperam a manutenção deste cenário e projetam aumento na produção, compra de matéria-prima e mais mão-de-obra. Os indicadores ficaram em 60,9 pontos, 59,9 pontos e 54,1 pontos respectivamente.

Além disso, a pesquisa mostrou que houve redução de 1 ponto percentual da Utilização da Capacidade Instalada (UCI), caindo de 69% para 68% em dezembro. Nas empresas de pequeno porte ocorreu redução de 5 pontos percentuais da UCI, ficando abaixo do usual para o mês de dezembro.

Trimestre - Em relação a situação financeira, em todos os portes da indústria maranhense, foi considerada boa no segundo semestre de 2013, no quarto trimestre de 2013 ao registrar 51,9 pontos, o que é um avanço ante o resultado ruim de igual período de 2012. Este cenário difere do verificado no Brasil e no Nordeste

No Brasil, as finanças foram consideradas ruins, ao marcar 49,2 pontos. Este cenário não repete os bons resultados dos três últimos anos. No Nordeste, somente as empresas de grande porte fecharam o ano com a situação financeira boa.

O indicador de geral de margem de lucro o resultado foi de 53,2 pontos, o que demonstra um cenário mais positivo do que para o Brasil, onde a margem de lucro no último trimestre dos quatro últimos anos persistem ruins, com índices abaixo dos 50 pontos. Na comparação com o Nordeste, somente as empresas de grandes porte consideraram obter margem de lucro boa.

A Sondagem Industrial do Maranhão também revelou que a falta de trabalhadores qualificados no Maranhão foi um problema que se intensificou no quarto trimestre dos últimos quatro anos. Em 2013, este entrave foi indicado por 66,7% das empresas pesquisadas.

Ainda na análise dos problemas identificados pelos empresários da indústria, a elevada carga tributária ainda é apontada como um dos maiores problemas para o setor produtivo do Brasil e o mesmo cenário se repete no Maranhão, sendo o segundo maior problema conforme 57,1% das empresas consultadas no estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário