sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

XI Congresso da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).

Congresso da Condsef aprova indicativo de greve para março de 2014 e moção de repúdio à CUT.

XI Congresso da CONDSEF
Realizou-se entre os dias 11 a 15 de dezembro, em Beberibe-CE, o XI Congresso da Confederação Democrática dos Trabalhadores no Serviço Público Federal -CONDSEF, com a participação de aproximadamente dois mil servidores, eleitos em assembleias de vários órgãos da administração pública federal. O sindicalista José Augusto Gomes (Zé Grandão) de Paço do Lumiar esteve participando do congresso, a CONDSEF é filiada a CUT, e reúne na sua base cerca de 600 mil servidores públicos federais do Poder Executivo e organizou uma poderosa greve em 2011, arrancando do Governo Dilma um reajuste salarial que terá incidência nos contracheques dos servidores até 2015. Numa situação em que o Ministério do Planejamento, refém do ajuste fiscal na época, recusava-se negociar qualquer possibilidade de aumento para a categoria.
 
Sindicalista Zé Grandão.
O Congresso decidiu que a pauta de reivindicação unificada deverá ser entregue ao Palácio do Planalto no mês de janeiro, com atividade nos estado. Os eixos da campanha salarial que deverá ser permanente terá como prioridade do ponto de vista especifico da CONDSEF, a luta pela equiparação com a Lei 12.277; a isonomia dos benefícios entre os três poderes (alimentação e saúde); e da pauta unificada, a paridade entre os servidores ativos e aposentado; definição de data base no mês de maio; regulamentação da negociação coletiva; diretrizes de plano de carreira; retirada de projetos no Congresso Nacional que prejudicam os trabalhadores públicos; além do cumprimento por parte do governo de acordos e protocolos de intenções firmados em processos de negociação.  

O pontapé de lançamento da campanha salarial ocorrerá no mês de fevereiro, com uma grande marcha de servidores federais à capital do país. Assim como ocorreu na greve de 2011, o objetivo é unir todas as 31 entidades nacionais e as centrais sindicais em mesmo fórum de luta em defesa do serviço público, e pelo atendimento da pauta de reivindicações específicas e unificadas. Em 2014 o prazo para o desenvolvimento da campanha será mais curto, tendo em vista que a lei eleitoral determina que qualquer concessão de reajuste, deverá ser encaminhado pelo governo com seis meses de antecedência do pleito eleitoral, que ocorrerá em outubro.

CUT repudiada

Propostas de teses cutistas foram amplamente rejeitadas na Plenária Final, apesar da maior parte dos sindicatos filiados à Consdef serem também filiados à Central Única dos Trabalhadores. As teses dos grupos ligados às correntes petistas Articulação Sindical, Articulação de Esquerda e O Trabalho chegaram a propor resoluções como “Campanha pela anulação da Açã Penal 470”, que resultou na prisão dos petistas José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares; uma campanha pela “revogação das reformas da previdência de FHC e Lula” em detrimento da campanha realizada pelo conjunto das entidades do funcionalismo público que é “Reforma da Previdência comprada, tem que se anulada” e até a retirada da Condsef do Espaço de Unidade de Ação, todas propostas amplamente rejeitadas pela plenária.

A plenária final co Congresso aprovou ainda entre as suas moções , a partir da propositura do grupo “A CUT pode mais”, repúdio à direção da CUT pelo convite de emprego feito ao condenado no julgamento do "mensalação", Delúbio Soares (PT).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário