terça-feira, 27 de novembro de 2012

Policia Militar que matou estudante em Paço do Lumiar é expulso da corporação.

O policial militar Sandro Morett Furtado de Oliveira, lotado no 9° Batalhão da Polícia Militar foi expulso ontem da corporação. O ex-militar é acusado de matar o estudante Tárcio Kaique Pereira Pires, de 18 anos, que morreu em 9 de dezembro de 2010, depois de ser baleado dias antes (27 de novembro) pelo policial militar.

O crime bárbaro praticado por Sandro Morett chocou a população de Paço do Lumiar. Segundo o pai do estudante, o vendedor Ivaldo Magno Pires, 46 anos, o assassinato aconteceu no Viva do Conjunto do Maiobão. Ele disse que o PM Sandro teria passado com o carro – um Fiesta de cor preta e placa JHC-0403 –, por cima do pé de Tárcio Kaique, além de tê-lo atingindo também com o retrovisor.

O pai da vítima, Ivaldo Magno parabenizou a decisão da corporação.
“Meu filho nunca foi de confusão, mas ficou revoltado com a atitude do policial, que estava à paisana e não parou nem mesmo para saber se o Tárcio havia se machucado. O meu filho esbravejou e eles se desentenderam. Foi então que o policial retornou ao seu veículo, pegou pegar sua arma e deflagrou três tiros contra o Tárcio. Dois deles falharam e apenas um o atingiu no tronco, de lado. A bala perfurou o intestino, o que fez com que meu filho ficasse 12 dias na UTI do Socorrão 2, mas ele não resistiu”.

A irmã da vítima e também vendedora Talita Pereira Pires, 24, contou que o processo investigatório foi lento e cheio de falhas, uma vez que a família nunca tinha informações sobre o andamento do processo. Ela ressaltou que a família, e não a polícia, foi responsável pela identificação do acusado e do carro que ele utilizava no momento do crime.

“No dia do assassinato, o PM estava na companhia do cunhado – Paulo Salomão, que estudou comigo. Ambos residiam aqui em Paço. Depois, fomos atrás da placa do carro e descobrimos que ele pertencia à professora Eliane Bernadete Tonello, de Brasília, que teve o veículo roubado no estacionamento de uma faculdade particular da capital, em meados de junho do ano passado. O assassino disse ao delegado Arlindo Assunção, responsável pelo inquérito, que comprou o carro de outro PM, e que não sabia da procedência dele”, disse Talita.

De acordo com Ivaldo Pires, o acusado nunca havia sido afastado de suas funções no 9º BPM. Ivaldo disse que o Comando Geral da PM só soube do ocorrido um mês depois do fato, por meio da família da vítima.

Paralelamente ao inquérito policial, foi aberta uma sindicância interna na PM, sendo que ontem saiu o resultado final pela expulsão do PM do quadro da Policia Militar. A família busca agora a condenação na justiça, o Sandro é réu confesso, uma vez que se apresentou na delegacia, confirmando que foi o autor do crime, e entregando a arma utilizada, bem como as chaves do carro.

No próximo dia 09 de dezembro completara dois anos da morte do estudante Tárcio Kaique Pereira Pires, a dor e o sofrimento da família e amigos só aumentam com a lentidão de nossa justiça. A policia Militar do Estado do Maranhão na pessoa do Secretário de Segurança Publica estão de parabéns, a corporação mostrou que não aceitam bandidos.

Kaique, como era mais conhecido pelos amigos, havia passado no concurso da aeronáutica, o jovem estudante teria um futuro brilhante pela frente. Porém foi atrapalhado por um assassino frio, que deveria proteger o cidadão e não tira sua vida.

Nós da União dos Estudantes estamos acompanhando este caso de perto e não iremos descansar enquanto a justiça não for feita. Pedimos a juíza da 2ª Vara de Paço do Lumiar, Vanessa Clementino, que agilize este processo para que outras vidas não sejam ceifadas nas mãos deste bandido.

Reveja o vídeo com o depoimento da mãe do estudante:

8 comentários:

  1. Nossa parceiro que saudades que você faz, infelizmente esse bandido que julgava policial retirou sua vida. Porém você ainda vive nos corações daqueles que te amam.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a corporação da policia militar, a expulsão foi pouco pra esse bandido.

    ResponderExcluir
  3. A dor, a saudade e a revolta ainda estão estampados no rosto daqueles que amavam Kaique. A justiça precisa se posicionar diante do caso.

    ResponderExcluir
  4. Quem diria das mãos de um agente da lei, a vida de um jovem com um futuro brilhante pela frente foi ceifada da maneira mais covarde que se possa imaginar, que esse bandido sinta o peso da lei.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns a todos vocês da Umesp pela grande repercussão que terão a este caso, graças a deus a primeira justiça foi feita.

    ResponderExcluir
  6. Quero agradecer primeiro a DEUS por essa conquista que não foi fácil, durou todo o tempo porque ele ( o assassino ) recorreu a todas as intancias,e gastou muito ,mas foi feito a justiça que esperávamos, obrigada SECRETÁRIO DE SEGURANÇA Dr. ALUÍSIO.
    A mãe VANIA FERNANDES.

    ResponderExcluir
  7. DEUS é mais que JUSTO, agora eu quero ver esse VALENTÃO sair ai aos finais de semana por conta da policia, ele vai ter que RALAR MUITO ou melhor pegar no pesado.

    ResponderExcluir