terça-feira, 29 de maio de 2012

Delegado perde controle de pick-up e invade residencia no Maiobão


Um acidente de trânsito, na noite deste domingo, causou revolta nos moradores da Avenida 1, localizada no bairro Maiobão, em Paço do Lumiar. De acordo com informações, uma pick-up dirigida pelo Delegado Sebastião Justino teria invadido uma residência.

O acidente aconteceu por volta das 20h e, felizmente, nenhuma pessoa saiu ferida, pois não tinha ninguém na casa no momento do incidente. Sebastião Justino, que está em processo de aposentadoria, dirigia uma L200, de placas NWZ – 7824/São Luís-MA.

O Imparcial entrou em contato com o delegado. Ele revelou, em conversa por telefone, que perdeu o controle do veículo e invadiu uma casa. O portão da casa foi destruído e até a parede da cozinha ficou rachada devido ao impacto.

Ele afirmou que o freio do carro falhou, fazendo-o perder o controle do veículo, até bater no muro de uma casa. “Fiz um acordo com a família que teve acasa danificada. Já até providenciei todo o material necessário. Hoje de manhã fui ao local com o pedreiro e ele afirmou que a casa, por ser muito humilde, precisa ser derrubada para poder reformá-la. Por isso, providenciei uma kitnet ali próximo enquanto aguardam a reforma”, revelou.

Indagado sobre a ingestão de álcool antes de assumir a direção, Justino diz que “só bebi duas latas de cerveja, por volta das 16h. Mesmo quatro horas depois eu estava completamente sóbrio”, afirmou.

Com a batida, a população ficou revoltada, e tentou entrar em confronto com o delegado. Algumas pessoas revelaram que o delegado sacou uma arma para intimidar os revoltosos. Após o acidente, o irmão do delegado chegou ao local e foi ameaçado pela população também.

Perguntado sobre a veracidade da ameaça com o revólver, ele disse que “não ameacei ninguém. Os moradores revoltados é que quebraram o vidro do meu carro. Minha arma estava na cintura, mas em momento algum a puxei para ameaçá-los”.

Depois do episódio, Sebastião afirma que a família foi até a Delegacia do Maiobão para “tomar providências cabíveis para apurar possíveis danos”.

LEI SECA
Segundo o site do Departamento da Polícia Rodoviária Federal, “quem for flagrado sob efeito de álcool (de 0,1mg a 0,29 mg de álcool por litro de ar expelido) é enquadrado no artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), cometendo infração gravíssima (7 pontos na CNH), com penalidade de multa (R$ 957,70) e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses. O veículo ainda fica retido até que apresente outro condutor habilitado e em condições de dirigir. Porém, aquele condutor que atingir o limite de 0,30 mg comete também crime de trânsito, pelo artigo 306 do CTB, que prevê penas de detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor”.

A DPRF informa ainda que “não há, atualmente, limite considerado “seguro” para dirigir após ingerir bebida alcoólica. A absorção e metabolização do álcool dependem de diversos fatores, como sexo, peso corporal e ingestão de alimentos. Mas, de modo geral, consumir o equivalente a 1 lata de cerveja, ou 1 taça de vinho, ou 1 dose de cachaça, vodca ou uísque é o bastante para ser multado. Já beber o equivalente a duas ou três doses e dirigir não é apenas infração: é crime de trânsito”.

Por Raissa Tauany/O Imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário