sexta-feira, 30 de setembro de 2011

NO BANCO DOS RÉUS: MARCADO MAIS UM JULGAMENTO CRIMINAL DA BIA VENÂNCIO. SERÁ NO DIA 06/10/2011 - 2ª Câmara Criminal do TJ-MA


DENÚNCIA oferecida pelo MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL contra GLORISMAR ROSA VENÂNCIO - Prefeita Municipal de Paço do Lumiar/MA, por contratação de aproximadamente 3.000 servidores no referido municipio, sem a observancia do principio constitucional do concurso publico, praticando crime previsto no art. 1º, XIII, do Decreto-Lei n° 201/67 e art. 10 da Lei 7347/85 em concurso material (art. 69 do CPB). Lgd.

Art. 1º, XIII, do Decreto-Lei n° 201/67:Nomear, admitir ou designar servidor, contra expressa disposição de lei;

Art. 10 da Lei 7347/85: - Constitui crime, punido com pena de reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos, mais multa de 10 (dez) a 1.000 (mil) Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional - ORTN, a recusa, o retardamento ou a omissão de dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, quando requisitados pelo Ministério Público;

Art. 69 do CPB (Código de Processo Penal): - Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas de liberdade em que haja incorrido. No caso de aplicação cumulativa de penas de reclusão e de detenção, executa-se primeiro aquela.

A FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS PELO BABÃO E ANTONIO CACHORRO EM PAÇO DO LUMIAR É FICHINHA SE COMPARADA COM AS FALSIFICAÇÕES DA BIA E SEU GRUPO NA PREFEITURA E NA CÂMARA DE VEREADORES


Mais de 330 mil em especie foram apreendidos 

Se o novo Superintende da PF quer realmente mostrar para que veio é melhor dá uma passadinha na prefeitura de Paço do Lumiar, ai ele vai ver o que é falsificação de documentos pra valer. Ontem mesmo ele recebeu mais uma das dezenas denúncias já feitas todas com provas para a PF e o MPF não ter trabalho de investigar. 


As provas   foram estas: o Convênio, a rubrica e assinatura verdadeira, os despachos de Thiago Aroso e o repasse do dinheiro.

Em matéria de apurar e agir a Promotoria de Paço do Lumiar é campeã. Já o MPF e a Justiça Federal do Maranhão tá devagar quase parando, pois há mais de ano o MPF recebeu provas de desvios de mais de 16 milhões dos cofres da Prefeitura de Paço do Lumiar, de recursos repassados pelo Governo Federal  e até agora não tem nenhuma resposta. 

Esta acontecendo algo de muito estranho, ou o MPF do Maranhão não está se entendendo com a PF neste caso absurdo de Paço do Lumiar. Só o MPE fez 9 ações por improbidade administrativa e o MPF nada que se tenha conhecimento.

O Movimento S.O.S PAÇO DO LUMIAR estará na próxima semana buscando uma explicação desses dois órgãos para essa lentidão.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

VEREADOR JUNIOR DO MOJO PERDE O COMANDO DO PSL

Junior do Mojo, aliado de Bia Venâncio
O vereador Junior do Mojo, aliado da prefeita mais enrolada do Brasil, deve se desfiliar, ainda hoje do PSL, o mesmo perdeu o comando do partido para o advogado Marconi, um desconhecido do cenário politico luminense. Segundo informações de fontes segura deste blog, o advogado Marconi é a pessoa indicada pela FAMÍLIA CUTRIM, que deseja lançar como vice na chapa do professor Josemar. Como foi noticiado por este blog algumas semanas atrás (clique aqui e reveja).


COMEÇOU A LIMPEZA EM PAÇO DO LUMIAR: ALIADOS DE ALDERICO CAMPOS, EDILÁZIO JUNIOR e BIA VENANCIO FORAM PRESOS A POUCO PELA PF

A Operação Duas Caras, da Polícia Federal em conjunto com o Ministério da Previdência Social e o Ministério Público Federal, prendeu 11 suspeitos na manhã desta quinta-feira (29) de envolvimento em uma fraude estimada em R$ 16,5 milhões em benefícios do INSS.

A Força-Tarefa Previdenciária está cumprindo 14 mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Seção Judiciária Federal do Maranhão, requeridos pela Polícia Federal, com parecer favorável da Procuradoria da República, nesses municípios.
Estão envolvidos na operação 93 policiais federais e 15 técnicos deslocados pelo Ministério da Previdência Social de Brasília.
O nome da operação foi escolhido em alusão ao grande número de documentos falsos utilizados pelos quadrilheiros, com modificação de dados pessoais dos beneficiários, especialmente a profissão e endereço, para a obtenção de benefícios fraudulentos junto ao INSS.
Os supostos beneficiados eram cadastrados pelos órgãos nas cidades citadas e o INSS de São José de Ribamar era acionado. Lá, as pessoas eram cadastradas para receberem o benefício. De acordo com a PF, muitas pessoas recebiam um valor retroativo, que era repassado aos envolvidos no esquema. Depois os beneficiados recebiam valores normalmente como se fossem aposentados.

Quando o suposto benefiário não tinha direito a retroativo, a quadrilha cobrava um valor. Um empréstimo era feito e pago com o valor recebido mensalmente, com desconto em folha. A estimativa é que cerca de 600 pessoas receberam o beneficio indevidamente e que foram desviados cerca de R$ 16 milhões em quatro anos. 

Apreensão 


A Polícia Federal apreendeu seis veículos em poder dos envolvidos. Em dinheiro foram apreendidos cerca de R$ 330 mil na casa de três pessoas, sendo que R$ 240 mil somente na casa de uma. 

Prisões
Dos 14 mandados expedidos, 11 pessoas foram presas. Em São Luís foram quatro, três em Paço do Lumiar e três em Ribamar. Destas 11, quatro trabalham para o INSS e as outras são envolvidos no esquema.Entre os presos estão: a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Icatu e o presidente da Colônia de pescadores de Paço do Lumiar.
Da esquerda pra direita Domingos Gomes de Sousa (Babão) Antônio B. Frazão Alves
(Antônio Cachorão)aliados políticos da prefeita Bia Venâncio  do vereador cassado Alderico Campos e do deputado estadual  Edilázio Junior



Das três pessoas que foram presas em Paço do Lumiar duas tratam-se de Domigos ''BABÃO" e ANTONIO CACHORÃO, aliados politicos da prefeita Bia Venâncio  do vereador cassado Alderco Campos e do deputado estadual  Edilázio Junior, daqui a pouco estaremos colocando a relação  completa dos nomes. Aguardem!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Nelma Sarney mantém no cargo prefeita corrupta de Paço do Lumiar


Após articulada feita pela equipe da prefeita de Paço do Lumiar, Bia Venâncio (PDT) na última terça-feira, 20, em que o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Jamil Gedeon, recebeu as nove hienas, ops desculpe! Vereadores do município, para tratar da “Nota de Repúdio” depois dos atos de manifesto da população contra a desembargadora Nelma Sarney.
O objetivo dos vereadores na reunião foi tentar pressionar o desembargador Jamil Gedeon, que sempre foi a favor da cassação da prefeita que é recordista em processos por improbidade administrativa, segundo o Ministério Público.
Jamil é conhecido nos tribunais, por não compactuar com certos interesses políticos de alguns desembargadores, até mesmo que em (01) de junho deste ano, o presidente acatou a decisão dos juízes da força-tarefa do projeto “Pauta Zero”, da Corregedoria Geral da Justiça, que afastaram, imediatamente, Bia Venâncio da Prefeitura de Paço do Lumiar
As nove hienas, ops vereadores de Paço do Lumiar pressionam o presidente do Tribunal de Justiça 
.Já no dia (03) de junho, os advogados da gestora recorreram da decisão, e Gedeon, negou o pedido da defesa que suspenderia a liminar que a afastou do cargo.

Depois do imbróglio no judiciário, a desembargadora Nelma Sarney, que sempre facilitou a vida de Venancio nos tribunais, desta vez conseguiu com que a corrupção permaneça, e por isso, em decisão unanime no Pleno, Bia Venâncio se mantém no cargo surrupiando aos cofres públicos da cidade pacata de Paço do Lumiar.
Moradores do município de Paço do Lumiar esculhambaram com a desembargadora Nelma Sarney

MPF ABRE INQUÉRITO CONTRA POLICLÍNICA MAIOBÃO REFERENTE A IRREGULARIDADES DE RECURSOS FEDERAIS DO SUS

Policlínica Maiobão


Paço do Lumiar esta parecendo uma pocilga, em toda história deste município nunca vimos tanto desmando, aqui ponto chegamos! O mais revoltante é olhar essa cambada de corruptos fazendo o que querem. E agora mais uma  suposta FALCATRUA.

O Ministério Público Federal abriu um inquérito para apurar irregularidades envolvendo recursos federais do SUS a Policlínica do Maiobão LTDA, através da prefeitura de Paço do Lumiar.

Veja o processo:

PORTARIA  Nº 056/2011, DE 18 DE AGOSTO DE 2011.
“Procedimento Administrativo nº: 1.19.000.000744/2010-87Requerente: MPE – 1ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE PAÇO DO LUMIAR/MA 
Requerido: MUNICÍPIO DE PAÇO DO LUMIAR/MA
Objeto: Trata-se de expediente encaminhado pelo MPE – Ministério Público Estadual, dando conta de irregularidades envolvendo recursos federais do SUS – Sistema Único de Saúde transferidos à POLICLÍNICA MAIOBÃO LTDA, através da Prefeitura de Paço do Lumiar/MA, nos anos de 2009 e 2010.”
determina a conversão dos presentes autos em Inquérito Civil Público, em atendimento ao contido no art. 4º, da Resolução CNMP nº 23/2007, para a continuidade da apuração do(s) fato(s) investigado(s) neste feito, devendo serem realizadas as seguintes diligências, voltando os autos imediatamente conclusos após seu cumprimento: a) oficiar ao DENASUS para que, no prazo de 20 dias, encaminhe cópia dos papéis de trabalho (processos licitatórios, processos de pagamento, ofícios do SEAUD, etc., enfim, todos os documentos referidos como fonte de evidência) relacionados às constatações nº 111397, 112513, 112517, 112524, 112527, 114398, 114319, 111988, 112529, 112544, 112531, 112532, 112537, 112538, 112539, 113863 e 112541, bem como informe sobre o cumprimento das Recomendações feitas ao gestor municipal, inclusive se este chegou assinar e se vem atendendo ao disposto no Termo de Ajuste Sanitário - TAS, noticiando ainda o estado do andamento das demais irregularidades junto ao órgão; b) notificar o(s) Representado(s) para que ofereça(m) manifestação acerca das irregularidades apontadas nos Relatórios das Auditorias realizadas (anexos IV e V), devendo encaminhar documentação comprobatória de suas alegações; c) retifique-se o resumo deste apuratório, de modo a constar exatamente o conteúdo transcrito acima; d) desentranhe-se a documentação acostada em duplicidade, mediante certidão, devendo ser feito o mesmo quanto ao material ainda por vir.
Solicite-se, no expediente ao DENASUS, a presteza no sentido de encaminhar a documentação separada, se possível, por irregularidades (constatação), de acordo com a ordem descrita acima. Ao chegarem, os documentos devem compor anexo(s).
Desde já determino a reiteração do(s) ofício(s), em caso de demora ou não atendimento à requisição/solicitação, sendo que, quanto ao(s) expediente(s) dirigido(s) ao(s) Representado(s), comprovada(s) sua(s) intimação(ões), faz-se desnecessária a reiteração.
Publique-se esta Portaria no mural de avisos desta Procuradoria da República, nos termos do que prevê o art. 7, § 2º, IV, da Resolução CNMP nº 23/2007.
Comunique-se à Egrégia 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal a respeito do presente ato, para conhecimento e publicação, nos termos dos art. 4º, VI, e 7º, § 2º, I e II, da Resolução CNMP nº 23/2007.
Por fim, sejam realizados os registros de estilo junto ao sistema de cadastramento informático.

ESTUDANTE DE MATEMÁTICA DA UFMA DÁ LIÇÃO DE DIREITO EM DESEMBARGADORES DO TJ-MA

O artigo publicado no blog do estudante de matemática UFMA Edgar Ribeiro (clique aqui) com o título: 2ª CÂMARA DO TJ-MA AUTORIZA BIA A CONTINUAR COMETENDO IRREGULARIDADES

O fato de existirem provas contundentes da prática de atos irregulares pelo gestor não implica, por si só, em afastamento do cargo
(Tese da Presidente da 2ª Câmara desembargadora Nelma Sarney).

Sob o comando da amiga e protetora de Bia Venâncio, a 2ª Câmara Cível do TJ-MA dar Carta Branca para Bia e seu grupo continuarem dilapidando o os recursos e o patrimônio do povo luminense. Isto mesmo provas contundentes da prática de atos irregulares não adianta. Provas de nepotismos, contratações irregulares, não adianta. Provas de Falsificação ideológica, não adiantam. Desvios comprovados de mais de 32 milhões não adiantam. Provas de falsificação de documentos federais, não adiantam. Provas robustas e contundentes de condutas graves, imorais, nojentas, nada adiantam para esses senhores de toga do Maranhão quando os envolvidos são gente dos Sarney.

Espero sinceramente que a declaração da Ministra do CNJ, Eliana Calmon, declarando que o problema é a infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga” não alcance magistrados declarou em entrevista.

Não preciso ser jurista para mostrar a visão curta e tendenciosa desses senhores de toga. Vejamos o que decidem os tribunais que atuam fora do território dos Sarney:
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS - AÇÃO PENAL Nº 1697 (11/0096038-1)
AGRAVANTE: Dional Vieira de Sena (Prefeito Municipal De Aurora Do Tocantins)
AGRAVADO: Ministério Público do Estado do Tocantins

DECISÃO DOS DESEMBARGADORES:
“MANUTENÇÃO DO AFASTAMENTO DE PREFEITO. NECESSIDADE DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO, DA MORALIDADE E DA ÉTICA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. I – Constituindo os fatos irrogados ao Prefeito, crime em tese, e havendo possibilidade de, no exercício do cargo, manipular documentos, pressionar testemunhas, dificultando a apuração dos fatos, e mais, com vistas a repetição da conduta reprovável, impõe-se manter o afastamento temporário do Prefeito até o término da instrução criminal e julgamento do mérito”.

Estão vendo senhores de toga, a manutenção da Bia no cargo tem lhe permitido destruir documentos, manipular testemunhas, dificultando a apuração dos fatos com arrumação e maquiagem daquilo que já descoberto, lançando mão de recursos para se manter no poder, repetindo as mesmas condutas criminosas. Já são mais de vinte processos por desonestidade abertos contra essa senhora. E isto não tem importância?

No momento em que os senhores julgavam o processo na 2ª Câmara sem a menor preocupação com a coisa pública, a Senhora Bia Venâncio estava sentada no banco dos réus sendo interrogada nos autos do Processo Criminal nº 12342011, cuja ação criminal foi aceita por unanimidade pela 1ª Câmara Criminal deste próprio TJMA.

Será que a Lei que o TJ-TO se embasou pra julgar é diferente da que vocês usam, o que os tem tornados coniventes lenientes com o maior esquema de corrupção do Maranhão? Submetendo-se à manobras jurídicas que dão repugnância até a um iniciante na ciência do direito.

O que vos questiona é apenas um técnico em informática e estudante de matemática, que deixou as formulas por enquanto por não agüentar mais os gritos de pedido de justiça dos que habitam a cidade vizinha Paço do Lumiar. Como nunca estiva engrossando a fileira dos covardes, nem a dos que silenciam diante do mal, estou aqui exigindo que haja pelo menos um pouco de decência por parte dos senhores, com o direito e com o ordenamento jurídico pátrio.

Como pode os senhores se refugiar na tese de que não há provas que a permanência da prefeita traria prejuízo para a instrução processual. Ora senhores julgadores, a conclusão é lógica, sensata, presumível e certa que a manutenção da prefeita no cargo não vai prejudicar só a instrução processual desse processo que vocês julgaram, mas de todos os outros que ainda serão julgados e outros que sequer serão instruídos.
Como pode os senhores reconhecer que é a raposa que está comenda as galinhas e deixá-la no galinheiro, como se explica isto no universo do direito, nem que seja na mais remota era da história da humanidade?

Vejam mais decisões do STJ e do próprio TJ-MA:

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA - STJ
DECISÃO:
PEDIDO DE AFASTAMENTO TEMPORÁRIO DE PREFEITO. INVESTIGAÇÃO POR ATOS DEIMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. INDÍCIOS DE MALVERSAÇÃO DO DINHEIRO PÚBLICO. GARANTIA AO BOM ANDAMENTO DA INSTRUÇÃO PROCESSUAL. LESÃO À ORDEM PÚBLICA.Visualiza-se, no caso, risco de grave lesão à ordem pública, consubstanciada na manutenção, no cargo, de agente político sob investigação por atos de improbidade administrativa, perfazendo um total de 20 ações ajuizadas até o momento, nas quais existem indícios de esquema de fraudes em licitações, apropriação de bens e desvio de verbas públicas. – O afastamento do agente de suas funções, nos termos do art. 20, parágrafo único, da Lei n. 8.429/1992, objetiva garantir o bom andamento da instrução processual na apuração das irregularidades apontadas, interesse de toda a coletividade.” (AgRg na SLS 467/PR - Corte Especial - Rel. Min. Barros Monteiro – J. 07/11/2007).”

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO - TJMA em outros tempos decidia assim:

“AFASTAMENTO DE PREFEITO. ALEGAÇÃO DE OFENSA AOS INCISOS LIV, LV e LVII DA CF.

I - Na ação civil pública por ato de improbidade administrativa, fulcrada na Lei 7.347/85 c/c Lei 8.429/92, é correta a concessão de medida cautelar proferida in limine, determinando as providências necessárias a garantir a efetividade da prestação jurisdicional principal.

II - Mostra-se imperioso o afastamento liminar do prefeito de suas funções, ante ao risco de ser embaraçada ou frustrada a instrução probatória, nos termos do art. 20 da Lei 8.429/92.

III - É descabida a alegação de ofensa aos incisos LIV, LV e LVII da CF em se tratando de medida liminar, que não tem caráter definitivo, e que visa resguardar interesses de grande relevância, também protegidos pela Magna Carta, pois os princípios que emergem dos referidos dispositivos não são absolutos, devendo ser interpretados conjuntamente com outros preceitos constitucionais, bem como infraconstitucionais”.

Só mais uma do nosso TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO - TJMA em outros tempos:

“ADMINISTRATIVO. AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. RECEBIMENTO DA INICIAL. AFASTAMENTO DO PREFEITO MUNICIPAL E SECRETÁRIOS. INDISPONIBILIDADE DOS BENS. NECESSIDADE. LIMINAR DEFERIDA.

1 - A existência de provas e sérios indícios da prática de improbidade administrativa leva ao afastamento do prefeito e dos Secretários dos cargos, vez que, nos mesmos permanecendo, poderão embaraçar ou dificultar a instrução processual, seja pressionando testemunhas ou manipulando documentos.

2 - É imprescindível que seja decretada a indisponibilidade patrimonial dos bens do prefeito e dos Secretários afastados, a teor do que dispõe o art. 7° da Lei n° 8.429/92, para resguardar futura execução.

3 - Inicial recebida e liminar de afastamento concedida. (Ação de Improbidade Administrativa nº 9196/2004, Rel. Des. Raimundo Freire Cutrim, J. 13/01/2005).”

Note-se que o relator desta ação foi o mesmo que acompanhou o voto da desembargadora Nelma Sarney no julgamento desta terça–feira (27.09.2011) com entendimento diverso do que sustentava anteriormente. O que aconteceu com Vossa Excelência, quem o dissuadiu da sua brilhante decisão proferida nos autos citados acima?

Não importa, Inês é morta. Cabe aos que primam pela coisa pública pedir a nulidade da decisão de vossas excelências, não só por esta razão, mas  porque a relatora do agravo que julgastes está impedida desde o inicio. Mas, esta é outra historia desse processo que está a atingir contornos que ultrapassam as fronteiras daquele município, expondo a ferida que não quer sarar denominada de corrupção.
Basta!!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

EXCLUSIVIDADE: BIA VENÂNCIO FALSIFICA DOCUMENTO FEDERAL

EIS A BOMBA:INDÍCIO DE MAIS UMA FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTO FEDERAL PELA BIA E SEU GRUPO

Trata-se do Convênio nº 278/2009, de 02/01/2009, vigente até 31/12/2011, celebrado entre MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME e o MUNICÍPIO DE PAÇO DO LUMIAR/MA no valor de R$ 875.000,00 para aquisição direta de alimentos produzidos por agricultores de Paço do Lumiar.  

Consta nos documentos apresentados abaixo que o referido convênio teria sido assinado pelo Prefeito GILBERTO AROSO no final de 2008, antes da posse da BIA VENÂNCIO. O corre que Gilberto Aroso nega ter assinado o referido documento, o que indica então a falsificação de sua assinatura em um documento da administração federal, no caso MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME. Comecemos a investigação:

O CONTRATO DO COVÊNIO:

A VERDADEIRA ASSINATURA DE GILBERTO AROSO:
Estas são a rubrica e assinatura do então prefeito GILBERTO AROSO extraídas do Projeto de Lei nº 23/2005, aprovado em 09/12/2005:

Comparando os dois documentos, as assinaturas não têm nada de parecidas. Os indícios de falsificação se mostram fortes. Se confirmados por perícia do Instituto de Criminalística – INCRIM, estaremos diante de mais uma falsificação articulada pela quadrilha da Bia Venâncio, prefeita de Paço do Lumiar – Ma. Uma cidade do Estado do Maranhão próxima da Capital, mergulhada num  antro  de corrupção tais como Suborno, nepotismo, extorsão, tráfico de influencia, favorecimento judicial, conivência legislativa municipal, etc, etc. A fonte que forneceu os documentos informou categoricamente que Gilberto Aroso negou veementemente que tal assinatura seja sua, mostrando seu RG e Carteira da OAB.

PROVÁVEIS ENVOLVIDOS:

BIA RECEBEU OS RECURSOS DO CONVÊNIO FALSIFICADO

O DESTINO DESSES RECURSOS
NINGUÉM SABE, NINGUÉM VIU. Foram mais R$ 875.000,00 dilapidados. Assim vai sobrevivendo bia e seus asseclas, de corrupção em corrupção, de falsificação em falsificação, assistidos pela tolerância do nosso judiciário, que não consegue resolver seus próprios problemas de corrupção. estou me referindo os casos já apurados e comprovados por pericias técnicas.

E AGORA?
Continuemos a clamar por um mínimo de moralidade, até um dia sermos ouvido nem que seja para amenizar a situação, mais algo precisa ser feito, pois essa gente ainda invocam o direito de roubarem sossegados. Ainda são abanados e defendidos por alguns radialistas cretinos co-participantes das bandalheiras, recebendo sua parte, embora sejam apenas trocados ou cala-bocas oferecidos esporadicamente. Os mais espertos até conseguem um espaçinho na Folha de Pagamento de um Município e, hipocritamente, saem por ai arrotando independência e exigindo moralidade dos outros.

Em termos de imprensa séria, os maranhenses estão desassistidos. O Jornal Pequeno foi para o Túmulo junto com o Saudoso Lourival Bogéa, o Jornal O Imparcial fez uma grande reforma e se transformou no Jornal O Parcial, o Jornal O Estado do Maranhão, sem comentários. Se não fossem os blogs, estávamos perdidos, mas até esses estão sendo contaminados pela onda dos cala-boca$.
Cruz credo!!

Com imprensa ou sem imprensa, o fato é que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual já foram acionados. Acompanhem o desenrolar porque a coisa é bem enrolada.

domingo, 25 de setembro de 2011

Vereador Wilson Amaral e os desvios milionários

Vereador Wilson Amaral

A Câmara Municipal de Paço do Lumiar tem variados tipos de vereadores que se possa imagina, porém queremos da ênfase ao vereador Wilson Amaral que responde na justiça por desvios milionários referente à sua passagem no comando da saúde do município no período de 2001 a 2003.

VAMOS RELEMBRA O HISTÓRICO DO VEREADOR:

O Ministério Público Federal do Maranhão (MPF/MA) propôs ação de improbidade administrativa contra o vereador Wilson Amaral, ex-secretário de Saúde do município na época do ex-prefeito Mábenes Fonseca entre 2001 e 2003. Os acusados teriam desviado mais de dez milhões de reais do Sistema Único de Saúde (SUS).


A Auditoria nº 1333 realizada em janeiro de 2004 pelo Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), a pedido do MPF, constatou graves irregularidades na aplicação dos recursos do SUS repassados ao município, durante o período que o vereador era Secretário de Saúde do município.

Segundo o relatório, o total de recursos movimentados pelo Fundo Municipal de Saúde entre 2001 e 2003 foi de R$ 11.637.322,18. Desse total, R$ 10.585.414,79 foram gastos com despesas não comprovadas pela secretaria.

Porém o Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus) levantou uma nova análise do mar de desvios no município. O processo aponta saques milionários da conta da Saúde, entre 2001 e 2003, no qual o vereador comandava a pasta que jamais se reverteram em ações à população. Só em 2010, o processo administrativo chegou ao TCU. Em valores corrigidos em 2010, a fraude soma R$ 27.927.295,70.
.
A procuradora Eliana Torelly, da Procuradoria Regional da República da 1ª Região, avalia que é difícil punir porque os processos, tanto administrativos quanto judiciais, demoram a encerrar.

- A probabilidade de recuperar o dinheiro é muito baixa – diz Eliana

Charge Eletrônico

OS MEMBROS DO MOVIMENTO S.O.S PAÇO DO LUMIAR PEDEM PROTEÇÃO DE VIDA


Em razão do histórico violento da Prefeita de Paço do Lumiar, Bia Venâncio, de alguns dos seus familiares, citados em Inquérito Policial e tendo em vista os últimos acontecimentos de tramas da Bia e seu GVB – Grupo de Vereadores da Bia em  arregimentar pessoas como os das fotos ao lado para confrontarem com o Movimento S.O.S PAÇO DO LUMIAR, este está pedindo  às autoridades segurança e  proteção  de vida a seus membros. No último dia 22-quinta-feira, o movimento comunicou ao TJ-MA a não  realização de mobilização  devido a descoberta de tramas do  grupo da Bia para confrontarem com os que estão reivindicando justiça (doc. anexo).

Em 12/07/11– na porta do Fórum de Paço do Lumiarintegrantes do movimento e pessoas da população foram ameaçadas. Uns temeram registrar ocorrência, outros não deram crédito às ameaças.


É melhor o Movimento SOS Paço do Lumiar tomar cuidado, pois essa gente é perigosa. Lembram desta trama?

Bia Aroso encabeça crime organizado em Paço do Lumiar
Leia atentamente os depoimentos e veja a TRAMA:
* Ivalberto (ex-policial acusado na trama)
“Eu sou Ivalberto, ex-policial militar, trabalhei na campanha de Bia e após perdermos a eleição, fui procurado pela mesma para fazer um serviço. Só que ela me fez uma proposta que nós tínhamos que fazer isso porque ela não queria perder o poder na época que ela já dominava a prefeitura de Paço do Lumiar. Ela me fez uma proposta de me dar R$ 5.000,00 (cinco mil reais) e uma secretaria na época, se eu fizesse ou fosse atrás de alguém. Só que eu não fiz nem um e nem outro, pra poder sair do grupo dela. Fomos presos, perdi minha farda e até hoje vivo de “bico”.



A Proposta – “A ganância dela foi muita e não queria perder o poder. Então, a proposta era que matasse Mábenes ou fosse atrás de um pistoleiro pra fazer a vontade dela. Teve uns “PM” que foram envolvidos também, como Sabino que foi preso onze dias. Depois de oito anos passado, fui procurado pela mesma através de um amigo meu, dizendo que me levava até o governador pra me retornar a polícia, para que eu apoiasse ela”.

* Sabino ((ex-policial acusado na trama)
“Meu nome é Sabino Oliveira Filho, todo Paço do Lumiar me conhece. A Bia anda citando meu nome por aí, mentindo dizendo que nunca mandou matar ninguém e que nunca armou pra matar ninguém. Ela me contratou junto com o Eduardo, que apareceu várias vezes lá em casa me convidando pra armar pra mandar matar o Mábenes e pra mim arrumar uns “pistola”. Eu arrumei uns “pistola” e parti pro plano dela. Ela ficou zangada porque perdeu a eleição. Aí o que aconteceu, convidei mais quatro pessoas e começamos a armar os planos”.
O Plano – “Tivemos reuniões com eles e a ter o contato com ela, ia ser realizado na porta da igreja. Falava que queria esse homem fora do caminho dela e que tinha que mandar matar ele pra que agente pudesse invadir a prefeitura. Ela disse que era pra quebrar o pau e que ela ia me dar um emprego na prefeitura durante quatro anos. 

Mandou o dinheiro pelo rapaz, que foi embora pra Imperatriz com medo de matarem ele”.

“O plano não deu certo porque a Bia mandou R$ 15.000,00 (quinze mil reais) pra mandar executar o Mábenes como começo do dinheiro, aí ele só deixou dez mil e ficou com cinco mil, quando um colega meu se zangou e foi lá pro beira-rio beber, e conversando com os colegas policiais dele, falou que ia ter um plano, que a Bia tava pagando uma quantia de R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais) pra mandar matar Mábenes, que já tinha recebido dez mil e faltava o Eduardo trazer os outros cinco mil. A Bia tinha mandado o dinheiro pelo Eduardo no carro da prefeitura, um forgãozinho branco. Ela foi presa, o Eduardo foi preso, eu fui preso, todo mundo foi preso, porque o plano foi descoberto. Fui processado e dormi onze dias no xadrez. Foi a Bia que mandou matar Mábenes. Eu e mais os meus quatro colegas fomos excluídos da polícia”.



MAIS UM CASO:
Na manhã do dia 13 de dezembro de 2010 é noticiada o envenenamentodo ordenador de despesas da Prefeitura de Paço do Lumiar, SR.SANDOVAL FOURIER, popularmente conhecido como “senador”,ocorrida após a sua notificação para depor no ministério público federal e discussão com o filho da prefeita. 

Segundo informações “senador” teria “ingerido” grande quantidade de chumbinho, causa mortis do seu falecimento.

Noticiam que dias antes da morte, “senador” assinou em branco dois talonários de cheques da Prefeitura e os entregou para Amadeu Aroso, Secretário de Assuntos Estratégicos do Município de Paço do Lumiar, que por sua vez os entregou para seu filho Thiago Aroso, à época, Secretário Municipal, hoje Chefe de Gabinete da Prefeita, fato que foi presenciado por algumas pessoas, todas dispostas a deporem se necessário.


Dizem que “senador” andava bastante preocupado desde que soube que a Policia Federal estava investigando a grande quantidade de dinheiro que era cotidianamente movimentada pelo Secretário Thiago Aroso. Sabendo disto, “senador” e tendo recebido convocação para depor no Ministério Público Federal, teria procurado Thiago Aroso para pedir-lhe informações sobre a grande quantidade de dinheiro que estava sendo retirada do Banco do Brasil sem que ele ( “senador”), que era ordenador de despesas soubesse a sua destinação.


Thiago Arôso

Thiago Aroso respondeu-lhe agressivamente: “Te vira. Dê a explicação que quiser para a Polícia Federal, pois a responsabilidade pela ordenação das despesas e conseqüente assinatura dos cheques é tua e de mais ninguém”.


Bastante indignado com as ríspidas expressões de Thiago Aroso, Sandoval Fournier - “senador” respondeu a Thiago Aroso que iria contar toda a verdade para a Polícia Federal, oportunidade em que se retirou do ambiente extremamente aborrecido.


O estranho é que antes de morrer o suposto suicida festejou seu aniversário, foi ao salão e parecia estar de bem com a vida. Em momento algum manifestou desespero ou qualquer outra atitude que lhe fosse capaz de cometer suicídio.


Ninguém que conheceu “senador” acredita que este tivesse motivo para se suicidar. Não se sabe por que as investigações paralisaram, nem porque a família silenciou.


Será que a história não se repete? E a policia porque não investiga?

AGORA A QUADRILHA É MAIOR, ela tem o apoio incondicional do GVB e de gente poderosa no legislativo e no judiciário.

E O RECADO JÁ FOI DADO:

"sou uma mulher de coragem, disposta a fazer o que tem que ser feito...” (J. Pequeno).

O Vice-Prefeito que se cuide, essa gente é capaz de tudo. O histórico deles está ai pra quem quiser ver, seus defensores todos todos já conhecem e seus interesses estão acima do respeito à vida.


Por Edgar Ribeiro/blog